Por que precisamos banir absorventes de plástico da rotina menstrual?

Estima-se que uma mulher utiliza aproximadamente 10 mil absorventes de plástico durante sua vida fértil e aproximadamente 150 kg de lixo são gerados como consequência, que levará de 100 a 500 anos para se decompor.

Se considerarmos um preço médio de R$ 0,60 por absorvente, a mulher precisa investir cerca de R$ 6.000,00 durante sua vida com higiene pessoal.

Mas para muito além da economia financeira e da questão relacionada ao lixo, os absorvente descartáveis (internos e externos) representam risco para a saúde feminina.

Alergias e infecções vaginais são alguns dos sintomas mais comuns e imediatos causados pelos materiais sintéticos e pela redução do fluxo de ar no local. Mas não para por aí, a concentração de bisfenol A é quatro vezes maior no absorvente feminino que em uma sacola de supermercado plástica, por exemplo.

Para quem não está completamente a par dos danos causados pelo bisfenol A, também conhecido como BPA, pode causar alteração dos hormônios da tireoide, liberação de insulina pelo pâncreas, proliferação das células de gordura e está diretamente associado ao câncer (entre outros efeitos).

Quando olhamos o cenário para os absorventes internos não orgânicos, também não é positivo. É verdade que contém menos plástico e, consequentemente, menos BPA, mas foi comprovado que existe concentração razoável de agrotóxicos, como o glifosato, comumente utilizados na plantação de algodão. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a substância também está associada ao câncer.

Por isso, apesar da simplicidade de utilizar uma opção descartável, precisamos repensar urgentemente nas consequências que essas opções significam para nossa saúde a longo prazo! Eu iniciei essa jornada há muito tempo e descobri os coletores menstruais!

Outro recurso que uso de vez em quando são os absorventes de pano, feitos de algodão orgânico. Eles são utilizados quando o período chega de surpresa e eu ainda não consegui ferver o coletor menstrual entre um ciclo e outro.