Biólogo brasileiro ganha prêmio internacional por projeto que promete proteger corais das mudanças climáticas

Luiz Rocha já sabia desde pequeno que sua jornada profissional seria no mar. Apaixonado pelo oceano e pelos peixes, colecionava aquários e pescava pequenas espécies perto de corais para cuidar.

O que, talvez, ele não imaginasse é que seu trabalho se tornaria tão essencial para a preservação de espécies marinhasmuitas ainda sequer descobertas pelo homem.

O brasileiro se formou em Biologia, fez mestrado em Ciências Aquáticas e da Pesca e se especializou em mergulhar em águas profundas, tornando-se um dos poucos no mundo a fazer tal trabalho.

O motivo? Além de equipamento especial, exigi-se muita técnica e habilidade para mergulhar em grandes profundidades

O que leva a maioria dos mergulhadores a optar por submarinos ou veículos remotos para facilitar descidas a tais distâncias no oceano

Mas aí não é possível observar os peixes, grande paixão de Luiz, que se afugentam por conta da grande movimentação na água… Ou seja, para ele, a única opção é o mergulho técnico.

 – e, sobretudo, as espécies desconhecidas que abrigam e sua resiliência frente às mudanças climáticas.

A especialização levou o biólogo a ser um dos poucos no mundo capaz de estudar corais em águas profundas 

Recentemente, o brasileiro foi contratado pelo governo das Maldivas para explorar nada mais, nada menos do que os corais profundos do Oceano Índico.

O projeto rendeu a Luiz o Rolex Awards for Enterprise de 2021, um dos maiores prêmios internacionais concedidos a pesquisadores e exploradores do mundo todo que

Por meio de seu trabalho inovador, garantem a preservação de habitats e espécies nativas diante de grandes desafios globais, como as mudanças climáticas.

Em 45 anos de existência, foram apenas 150 pessoas premiadas pela iniciativa. Uma delas brasileira, graças a Luiz. 

Ê orgulho! Assista, abaixo, ao vídeo do prêmio!