Categorias: Energia

Usina Solar em forma de pirâmide será construída em aterro sanitário de Curitiba

A Prefeitura de Curitiba, em parceria com a Copel (Companhia Paranaense de Energia Elétrica) irá construir uma usina solar no aterro do bairro Caximba, desativado desde 2010.

O projeto faz parte do programa Curitiba Mais Energia, voltado ao uso de fontes de energia verde, e terá as placas solares instaladas em formato piramidal.

Com potência total de geração de 5 Megawatts (MW), o projeto poderá atender até 43% do abastecimento energético de prédios municipais da Capital do Paraná.

A pirâmide Solar da Caximba, como foi batizada, será na verdade um projeto misto movido a painéis solares com potência total de 3,5 MW e uma miniusina a biomassa de 1,5 MW, que aproveitará resíduos vegetais das podas de árvores e limpeza de jardins.

O empreendimento será implantado e operado por meio de um Termo de Cooperação Técnica, assinado no último dia 4 de março pela Prefeitura Municipal em parceria com a Copel.

A iniciativa veio da distribuidora, que abriu a Chamada Pública 001/2019 para selecionar oportunidades de negócio em projetos de geração distribuída de energia dentro das regras e modalidades criadas pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).

O projeto também conta com o apoio da C40 (rede de cidades comprometidas com o enfrentamento das mudanças climáticas) e da GIZ (agência de cooperação internacional do governo alemão).

De acordo com informações preliminares, o investimento total no sistema será de aproximadamente R$31,5 milhões, que serão custeados entre a Copel e a Prefeitura da cidade, sendo 49% dos custos vindos da distribuidora e 51% do município.

E não para por ai!

Além da Pirâmide Solar da Caximba, o programa Curitiba Mais Energia ainda visa a instalação de usinas fotovoltaicas na rodoviária da cidade e em três de seus terminais de ônibus: Pinheirinho, Santa Cândida e Boqueirão.

Outro fruto do programa de energia limpa de Curitiba foi a usina solar do Palácio 29 de Março, sede da Prefeitura da cidade, operando desde junho do ano passado com 439 placas solares.

Ruy Fontes

Formado em Letras-Inglês pela Universidade Estácio de Sá, apaixonado por tecnologias e sustentabilidade, atua como gestor de conteúdo na agência #movidos.

Leave a Comment
Compartilhe
Publicado por
Ruy Fontes

Posts recentes

Países podem ser 100% alimentados por energia limpa, segundo IRENA

Segundo a Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA), é possível alcançar um setor elétrico mundial…

2 dias atrás

11 toneladas de produtos orgânicos são doados para moradores de Paraisópolis

A Enel Distribuição São Paulo está doando 11 toneladas de produtos orgânicos – verduras e…

3 dias atrás

Jornada de Agrofloresta: como plantar comida sem veneno e regenerar a Natureza

A Agrofloresta é considerada a agricultura do futuro. É uma nova forma de cultivar alimentos…

4 dias atrás

Telhados solares batem novo recorde no Brasil em 2020 mesmo com pandemia

Apesar da queda nas vendas durante os primeiros meses da pandemia, o mercado solar brasileiro…

1 semana atrás

O que a moda tem a ver com a poluição marinha?

Um aspecto da poluição marinha nem sempre tão difundido refere-se aos impactos da moda nos…

1 semana atrás

Projeto oferece oficinas de profissionalização para mulheres no Ceará

Neste mês celebramos o Dia Internacional da Erradicação da Pobreza, data para reconhecer a luta…

1 semana atrás