Animais

Universidade força macacos a usar cocaína em testes sobre dependência química – e internet recolhe 19 mil assinaturas para tentar impedi-la!

A internet está em polvorosa nestes últimos dias, desde que se espalhou a notícia de que a Universidade de Friburgo, na Suíça, está forçando macacos a consumir cocaína em prol de pesquisas que visam estudar sobre dependência química em humanos. O teste consiste em dar micro doses da droga aos animais até que eles passem a dar preferência a ela quando são colocados na sua frente, simultaneamente, recipientes com água e cocaína.

A intenção é, após tornar os macacos depententes químicos, estimular diferentes partes do seu cérebro para identificar possíveis maneiras de fazer sua dependência pela cocaína desaparecer. Ou seja, em longo prazo, o objetivo dos testes é descobrir maneiras de tratar os seres humanos viciados na droga.

A universidade possui um Protocolo Experimental, validado pelo Escritório Federal Suíço de Segurança Alimentar e Veterinária (OSAV, na sigla em inglês) e por um Comitê de Testes em Animais, que autoriza a prática. Mas o documento (óbvio!) não foi suficiente para acalmar a indignação dos ativistas. “Por que nos achamos no direito de viciar, propositalmente, outros seres vivos em cocaína?”, questionam eles.

A Liga Suíça Contra Testes em Animais lançou petição online em que pede que a Universidade de Friburgo “pare imediatamente os testes planejados que envolvem o fornecimento de cocaína aos macacos”, além de mais informações sobre as condições em que esses testes estão sendo feitos nos animais. Em duas semanas, 19 mil assinaturas foram coletadas e agora o documento será enviado ao Grande Conselho de Friburgo e à reitoria da instituição de ensino pedindo medidas imediatas. E aí, Universidade de Friburgo?

Foto: Divulgação

Débora Spitzcovsky

Especialista em Sustentabilidade, com foco em Engajamento e Desenvolvimento Local, Débora é jornalista e cofundadora de The Greenest Post

Leave a Comment

Veja Comentários

  • Não somos a favor de tamanha crueldade, somos totalmente contra esse tipo de ato, nada justifica, nos causa sim revolta, indignação e um profundo asco. Já é hora da ciência evoluir e se iluminar, não estamos na idade média, na idade das trevas!!!

Compartilhe
Publicado por
Débora Spitzcovsky

Posts recentes

Brasileira de 8 anos é a pessoa mais nova do mundo a integrar programa da Nasa de descobertas astronômicas

Com 8 anos de idade, a alagoana Nicole Oliveira já tem na ponta da língua…

10 horas atrás

Homem cria usina hidrelétrica capaz de abastecer 300 casas ao mesmo tempo

Aposentado após uma vida inteira trabalhando como hidrologista, o norte-americano Dave Brailey, de Anchorage, no…

2 dias atrás

Geradores solares ficam mais baratos e instalações crescem no 1º semestre de 2021

Ficou mais barato para instalar um sistema de energia solar residencial ou comercial durante o…

4 dias atrás

Contra fome e desnutrição mundial, Brasil apoia ações de incentivo à agricultura familiar na África

Por meio do WFP Centro de Excelência, que mantém em parceria com o PMA, o…

4 dias atrás

Cerrado brasileiro é considerado bioma com maior potencial para agricultura sustentável do mundo

Muitas vezes considerado um ecossistema com pouca importância, em comparação com florestas úmidas brasileiras, como…

4 dias atrás

Contra solidão acentuada pela pandemia, asilo monta horta para idosos passarem tempo cultivando alimentos

Quem nunca ouviu aquele ditado "Quem planta seus males espanta"? Pois, no Asilo São Vicente…

6 dias atrás