Telhados solares batem novo recorde no Brasil em 2020 mesmo com pandemia

Telhados solares batem novo recorde no Brasil em 2020 mesmo com pandemia
22 out 2020

Apesar da queda nas vendas durante os primeiros meses da pandemia, o mercado solar brasileiro apresenta forte retomada em 2020 e acaba de superar o total de conexões de 2019.

Segundo os dados da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), que controla o segmento de Geração Distribuída (GD), o país já registra mais de 136.000 novas conexões neste ano frente aos  121.015 do ano passado.

A liderança do segmento continua com os projetos de painel solar instalado em residências, que respondem por mais de 72% dos novos sistemas conectados no período.

Com o novo aumento da conta de luz gerado pela pandemia e previsto para os próximos cinco anos, mais desses consumidores agora buscam a tecnologia fotovoltaica para proteger o seu imóvel e reduzir o seu gasto com energia elétrica.

A expansão do mercado fotovoltaico também ajuda na chamada retomada verde, promovendo uma fonte de geração elétrica 100% limpa ao mesmo tempo em que atrai investimentos e gera empregos no país.

No total, o Brasil já possui mais de 315 mil telhados solares que somam uma potência instalada aproximada de 3,83 GW.

O rápido crescimento das instalações de kit de energia solar é reflexo da queda do custo da tecnologia e a oferta de boas linhas de financiamento.

Segundo levantamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR,), isso representa mais de R$ 18,2 bilhões em investimentos acumulados e mais de 108 mil empregos criados desde 2012, ano de criação do segmento GD.

“Agora, passada a fase mais aguda da atual pandemia, a energia solar fotovoltaica irá novamente alavancar a recuperação do Brasil. A solar será parte da solução, tanto para a nossa sociedade, quanto para o meio ambiente”, afirmou o CEO da ABSOLAR, Rodrigo Sauaia.

Com um cenário favorável no Brasil, estima-se que a tecnologia mantenha a curva de crescimento em 2020 e seja um dos pilares da retomada econômica do país, assim como aconteceu nas crises econômicas de 2015 e 2016.

Em seu último Plano Decenal de Energia, a EPE (Empresa de Pesquisa Energética), estima um total de até 3 milhões de consumidores com geração própria e 24,5 Gigawatts de potência solar distribuída no Brasil até 2030.



Ruy Fontes
Ruy Fontes

Formado em Letras-Inglês pela Universidade Estácio de Sá, apaixonado por tecnologias e sustentabilidade, atua como gestor de conteúdo na agência #movidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error

Curtiu nossa página?

RSS
Follow by Email
YouTube
LinkedIn
Share
Instagram