Categorias: Ambiente

Robotox: robô que tuíta sempre que o Governo Federal libera um registro de novo agrotóxico

Desde o começo do mandato, o governo Bolsonaro publicou a aprovação de 551 novos produtos agrotóxicos. Desde 2016, as liberações têm batido recordes: só no ano passado 450 pesticidas passaram a ser vendidos de formas diferentes no Brasil. Embora os ingredientes ativos dos produtos já fossem vendidos, os novos registros autorizam uso em novas culturas, fabricação por novas empresas ou combinações com outros químicos.

Para deixar o cidadão a par de todas essas liberações, o projeto Por Trás do Alimento, parceria da Agência Pública com a Repórter Brasil, lançou o Robotox, um robô que vai publicar no Twitter todas as novas liberações de agrotóxicos concedidas pelo Governo Federal. Basta seguir a conta @orobotox.

A fonte das informações do Robotox é o Diário Oficial da União. “Criamos essa ferramenta para os cidadãos poderem acompanhar, de perto de com informações oficiais, todos os novos produtos agrotóxicos que forem liberados no mercado brasileiro. É preciso que essa política tenha mais transparência e seja mais debatida com a população”, explica Natalia Viana, co-diretora da Pública.

O Robotox também vai informar o número total de agrotóxicos aprovados, grau de toxicidade, nome do produto e da empresa. Um levantamento do Por Trás do Alimento revela que dos 166 pesticidas com registros aprovados neste ano, apenas 5% são totalmente produzidos em solo nacional. Isso mostra que estamos nos tornando cada vez mais não só consumidores, mas importadores de agrotóxicos.

O robô vai fazer postagens todos os dias. Caso não haja novas aprovações, vai informar o número de pesticidas liberados desde o início do ano e quantos produtos são comercializados no Brasil atualmente.

Quando houver liberação, o Robotox vai disparar tuítes com a marca do produto, cidade sede da empresa, nome comercial, classificação toxicológica e as culturas indicadas para uso.

“Essa é a segunda ferramenta com dados sobre agrotóxicos que lançamos esse ano, a primeira foi o mapa sobre a contaminação da água que chega às torneiras dos brasileiros. Nos dois casos, trabalhamos para dar transparência a dados que são públicos”, afirma Ana Aranha, jornalista da Repórter Brasil.

Redação

Também quer ver seu texto publicado no The Greenest Post? Entre em contato com a gente pelo e-mail colabore@thegreenestpost.com!

Leave a Comment
Compartilhe
Publicado por
Redação

Posts recentes

Dia das Crianças: visite de forma virtual as exposições Planeta Inseto e Museu de Pesca

A restrição de visitas a museus devido à pandemia do novo coronavírus não impedirá que…

2 semanas atrás

Virada Sustentável chama atenção para volume de descarte de lixo provocados pelo consumo inconsciente

A 10ª edição da Virada Sustentável SP ocorre pela primeira vez em modelo híbrido: físico…

2 semanas atrás

Voluntários constroem escola 100% sustentável na periferia de SP com 2.5 milhões de embalagens recicladas

A iniciativa é impressionante e reúne tudo o que tem de melhor de conceitos sobre…

2 semanas atrás

Companhia aérea fabrica filamentos para impressoras 3D a partir de garrafas PET utilizadas nos voos

A KLM é a primeira companhia aérea do mundo a reciclar garrafas PET para fazer…

2 semanas atrás

Conheça a primeira fazenda urbana dentro de uma indústria do mundo!

O cenário é um refeitório industrial. À mesa, hortaliças frescas, 100% livres de agrotóxicos, colhidas…

2 semanas atrás

Casal constrói casa sustentável com 10 mil garrafas de vidro, em Foz do Iguaçu

Dóris Dias e seu marido, Robson Lopes, sempre sonharam em ter sua casa própria, mas…

2 semanas atrás