Categorias: Inspiração

Refugiados sírios doam marmitas para idosos durante a pandemia em São Paulo

Por ONU

O casal Talal e Ghazal Al-Tinawi, refugiados vindos da Síria com seus filhos, sentiu no bolso a redução dos pedidos de delivery de comida árabe por conta da pandemia da COVID-19 em São Paulo, estado com mais casos da doença no Brasil. Mesmo assim, eles encontraram uma alternativa humana de contribuir para mitigar a transmissão do novo coronavírus.

“Chegamos no Brasil há sete anos e somos muito gratos ao povo brasileiro, que nos recebeu de braços abertos e nos apoiou sempre que precisávamos. Agora, chegou nosso momento de retribuir com o que temos de melhor: nossa comida árabe para quem mais precisa, as pessoas idosas”, disse Talal, engenheiro mecânico de formação.

O casal se empenhou para ampliar a produção para que 300 marmitas fossem entregues para idosos, um dos grupos mais vulneráveis à epidemia da COVID-19. Atendendo a uma das recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) – pessoas com mais de 60 anos devem permanecer em casa – as refeições estão sendo entregue na casa de cada um.

“Já passamos por uma situação similar, quando não podíamos sair de nossas casas por conta da guerra na Síria. A vida de nossa família estava em risco e só partimos porque não tínhamos outra escolha. Sabendo dessas dificuldades, fizemos um anúncio em nossas redes sociais sobre a doação e inúmeros pedidos começaram a chegar”, afirma Ghazal, que trabalha ao lado do marido na cozinha, atentos à higiene necessária.

A realidade da família refugiada síria como empreendedora de gastronomia é comum a muitos outros refugiados que buscam recomeçar suas vidas no Brasil por meio da produção de alimentos tradicionais. Talal e Ghazal estão numa página na internet lançada pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), listando alguns empreendimentos promovidos por refugiados no Brasil.

Ação conjunta – A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM), em parceria com demais agências da ONU e parceiros da sociedade civil, estão produzindo panfletos, vídeos e diversas ações informativas com orientações de prevenção em diferentes idiomas para orientar refugiados e migrantes no Brasil.

Redação

Também quer ver seu texto publicado no The Greenest Post? Entre em contato com a gente pelo e-mail colabore@thegreenestpost.com!

Leave a Comment
Compartilhe
Publicado por
Redação

Posts recentes

Jardineiro “gangster” espalha plantações de alimentos nas calçadas de Los Angeles

Ron Finley tem um humor impecável ao falar de agricultura. Ele vem transformando o conceito…

23 horas atrás

Mergulho virtual nas águas de Belize ensina como proteger os oceanos

Por ONU Você gostaria de mergulhar nas águas caribenhas do Belize para aprender como proteger…

23 horas atrás

Como ter uma horta de temperos em casa? Aprenda a cuidar de 9 diferentes hortaliças!

O momento que estamos vivendo despertou o interesse de muitas pessoas por ter uma horta…

23 horas atrás

Amazônia registra recordes de focos de calor em julho

No dia 30 de julho, a Amazônia registrou mais um triste recorde: 1.007 focos de…

1 semana atrás

Supermercado comercializa hortaliças orgânicas produzidas em projeto social

Como forma de incentivar transformações positivas na sociedade, o Pão de Açúcar começa a comercializar…

1 semana atrás

Pessoas físicas agora podem contratar plano de assinatura de energia solar

Residenciais e produtores rurais mineiros poderão, a partir de agosto, contratar o serviço de Energia…

1 semana atrás