Animais

Quênia proíbe sacolas plásticas e número de animais marinhos sufocados por elas cai 67%

O Quênia, que já foi um dos maiores exportadores de sacolas plásticas do mundo, agora é referência global na proibição das mesmas. Desde agosto de 2017, o país africano sancionou lei que já é conhecida como a mais severa do mundo a respeito do assunto.

A medida, que noticiamos aqui no The Greenest Post, prevê multa de até US$ 40 mil e prisão de até quatro anos para quem for pego comercializando, comprando e até mesmo usando sacolas plásticas. Sim: carregar sacolinhas no meio da rua passou a ser crime também!

Muita gente não gostou, a indústria reclamou, cidadãos foram presos… Mas passada a fase de adaptação, a medida trouxe uma série de benefícios para o país – e deverá inclusive ser replicada por outras nações, como Uganda, Tanzânia e Sudão do Sul.

LEIA TAMBÉM:
Chile é primeiro país da América Latina a proibir uso de sacolas plásticas

Entre outros resultados positivos, a quantidade de animais marinhos que eram encontrados mortos por sufocamento provocado por sacolas plásticas caiu 67%. Antes, três a cada 10 animais encontrados pelos ambientalistas haviam morrido por conta de sacolinhas. Hoje, apenas oito meses após a proibição, essa taxa já caiu para um em cada 10. Imagina no longo prazo?

E mais: a prática (infelizmente muito comum nos países africanos!) de fazer cocô em sacos plásticos e descartá-los ao léo, por conta da falta de condições básicas de saneamento, diminuiu. Na capital de Nairóbi, por exemplo, o número de pessoas que passou a pagar para usar banheiros públicos aumentou de 300 para 400 por dia.

Ao redor do mundo, Irlanda, Escócia, Dinamarca, Alemanha, Portugal e Hungria também já impuseram leis para as sacolas plásticas, obrigando os consumidores a pagarem por elas, numa tentativa de estimular seu consumo consciente. Na América Latina, o Chile foi o primeiro (e, por enquanto, único) país a tomar a decisão.

Enquanto isso, no Brasil… nenhuma medida muito concreta foi tomada. Até quando?

Débora Spitzcovsky

Especialista em Sustentabilidade, com foco em Engajamento e Desenvolvimento Local, Débora é jornalista e cofundadora de The Greenest Post

Leave a Comment
Compartilhe
Publicado por
Débora Spitzcovsky

Posts recentes

Brasileira de 8 anos é a pessoa mais nova do mundo a integrar programa da Nasa de descobertas astronômicas

Com 8 anos de idade, a alagoana Nicole Oliveira já tem na ponta da língua…

10 horas atrás

Homem cria usina hidrelétrica capaz de abastecer 300 casas ao mesmo tempo

Aposentado após uma vida inteira trabalhando como hidrologista, o norte-americano Dave Brailey, de Anchorage, no…

2 dias atrás

Geradores solares ficam mais baratos e instalações crescem no 1º semestre de 2021

Ficou mais barato para instalar um sistema de energia solar residencial ou comercial durante o…

4 dias atrás

Contra fome e desnutrição mundial, Brasil apoia ações de incentivo à agricultura familiar na África

Por meio do WFP Centro de Excelência, que mantém em parceria com o PMA, o…

4 dias atrás

Cerrado brasileiro é considerado bioma com maior potencial para agricultura sustentável do mundo

Muitas vezes considerado um ecossistema com pouca importância, em comparação com florestas úmidas brasileiras, como…

4 dias atrás

Contra solidão acentuada pela pandemia, asilo monta horta para idosos passarem tempo cultivando alimentos

Quem nunca ouviu aquele ditado "Quem planta seus males espanta"? Pois, no Asilo São Vicente…

6 dias atrás