Categorias: Ambiente

Plataforma une empresas financiadoras a instituições que se dedicam ao reflorestamento

O plantio de árvores esteve no topo da agenda internacional no início de 2020, quando o Fórum Econômico Mundial anunciou a iniciativa Trillion Trees, um esforço para proteger e plantar árvores em número suficiente para combater as mudanças climáticas e transformar as economias rurais. Muitas empresas e financiadores também estão trabalhando para plantar dezenas de milhões de árvores em todo o mundo. Mas plantar árvores não é suficiente – cultivar árvores da maneira certa engloba o envolvimento de comunidades locais, a seleção das espécies certas para a paisagem, a manutenção das árvores por anos após o plantio, a mensuração do impacto ao longo do tempo e muito mais.

Para preencher essas lacunas, o World Resources Institute lançou o TerraMatch. Trata-se de uma plataforma nova (beta) que conecta financiadores a projetos que cultivam árvores da maneira certa. Combina o investimento do setor privado, a experiência de desenvolvedores de projetos locais e décadas de trabalho direcionado à pesquisa para restaurar terras desmatadas e degradadas. A metodologia por trás do TerraMatch, desenvolvida pelo WRI, já transferiu recursos para projetos em países em desenvolvimento, criando empregos e restaurando paisagens. Em nove países da África e da América Latina, o WRI combinou financiadores com projetos que começaram a cultivar mais de 2 milhões de árvores em fazendas e florestas.

“Em 2019, os trópicos perderam mais cobertura de árvores do que todo o país de Honduras. É por isso que o WRI está lançando o TerraMatch, uma plataforma on-line que irá combinar financiadores com plantadores”, disse Andrew Steer, Presidente e CEO do WRI. “Somos inspirados pelo forte apoio de líderes corporativos que buscam levar seus fundos para a linha de frente. Com o TerraMatch, podemos acelerar a restauração da paisagem e garantir que ela seja feita da maneira certa. ”

Existem muitas formas diferentes de cultivar árvores da maneira certa. As pessoas as cultivam nas florestas para proteger a biodiversidade e a água, além de armazenar carbono; e nas fazendas, onde aumentam a produção agrícola e fornecem novas fontes de renda. Ao longo dos rios, as árvores impedem a erosão de ameaçar o abastecimento de água; e no pasto, fornecem alimento e sombra para o gado. Mas os financiadores têm problemas para encontrar projetos de alta qualidade executados por implementadores confiáveis. Geralmente, eles não sabem quais árvores são apropriadas para a paisagem e se prosperarão por décadas depois de brotarem. Alguns esforços fazem pouco mais do que plantar mudas sem manutenção ou monitoramento. E alguns não envolvem as comunidades locais de maneira eficaz ou tratam das preocupações que possam ter.

No caso do TerraMatch, o WRI examina todos os projetos e financiadores para criar uma comunidade séria dedicada ao cultivo de árvores da maneira certa. Os desenvolvedores aprovados publicam propostas de projetos na plataforma, revisadas pelo WRI, que contêm informações importantes sobre localização, espécies de árvores envolvidas, taxas históricas de sobrevivência de suas árvores, benefícios locais para as pessoas, seus métodos de restauração e muito mais. O TerraMatch também oferece um espaço para os cultivadores de árvores explicarem os verdadeiros custos de seu trabalho além do simples ato de plantar. Ao mesmo tempo, os financiadores publicam suas próprias ofertas, explicando que tipos de projetos eles esperam financiar e quanto querem gastar. Em seguida, ambas as partes pesquisam o sistema e combinam, iniciando uma conversa que pode levar a um impacto transformador.

Na Amazônia peruana, a técnica TerraMatch está ajudando a ONG local AIDER e os agricultores a cultivar mais de 300.000 árvores para proteger a biodiversidade da Reserva Nacional Tambopata. Juntos, eles estão cultivando árvores em fazendas de cacau que armazenam carbono e fornecem uma fonte sustentável de renda para mais de 10.000 pessoas.

Em Mukura, Ruanda, a ONG local ARCOS trabalhou com cooperativas lideradas por mulheres por meio do TerraMatch para cultivar mais de 40.000 árvores em suas fazendas e na floresta, onde elas seguram encostas e terraços, impedem a erosão e fornecem uma fonte sustentável de madeira.

E a oportunidade de cultivar mais árvores é enorme. Por meio do Desafio de Bonn, 63 governos se comprometeram a restaurar mais de 173 milhões de hectares de terras degradadas e muitos países estão buscando financiamento para esses projetos. Os parceiros das alianças regionais Iniciativa 20×20 na América Latina e no Caribe e o AFR100 na África estão prontos para usar o TerraMatch para ajudar a cumprir suas promessas.

Saiba mais sobre o TerraMatch em terramatch.org.

“Os governos lideraram a luta para restaurar as terras degradadas do mundo através do cultivo de árvores. No Malawi, já estamos trabalhando com milhares de jovens para transformar nossas paisagens através do Programa Juvenil de Restauração da Floresta do Malawi“, disse Tangu Tumeo, principal oficial florestal do Departamento Florestal e ponto focal AFR100 do governo do Malawi. “O TerraMatch nos ajudará a nos conectarmos com fontes sustentáveis ​​de financiamento privado que podem ampliar esse trabalho e criar empregos, construir economias rurais fortes e tornar nossos compromissos realidade. Grupos de jovens e todo o país estão prontos para partir. ”

“Proteger, restaurar e cultivar florestas na escala necessária, exige que aumentemos a ambição e conectemos melhor os líderes corporativos à comunidade de reflorestamento. Esta é a essência da missão da 1t.org”, disse Nicole Schwab, co-diretora de plataforma para acelerar soluções baseadas na natureza e 1t.org, Fórum Econômico Mundial. “O TerraMatch oferece uma solução importante para permitir essas conexões”.

“Trabalhar com o WRI e o TerraMatch criou grandes oportunidades para a One Tree Planted”, disse Matt Hill, fundador e CEO da One Tree Planted. “Financiamos o plantio de mais de 2 milhões de árvores na África e na América Latina por meio dessas parcerias, juntamente com incríveis comunidades locais. E já estamos comprometidos em plantar milhões a mais nos próximos dois anos. Tudo graças a essa grande rede de pessoas que fazem o bem ao planeta. ”

photo credit: Prefeitura de Itapevi – Perfil Oficial (2019.03.05) Plantio de Mudas no entorno do Parque da Cidade via photopin (license)

Jéssica Miwa

Mãe do Gael, Googler, jornalista e cofundadora do The Greenest Post. Acredita em pequenas ações que podem mudar o mundo.

Leave a Comment
Compartilhe
Publicado por
Jéssica Miwa

Posts recentes

Projeto “Horta da Família” garante independência financeira e segurança alimentar a moradores de Rio Doce

Lançado em 2018 no município de Rio Doce, em Minas Gerais, o projeto “Horta da…

2 semanas atrás

Precisando de um novo passatempo na quarentena? Marca lança kit de artesanato para estimular consumo consciente

Com 6 meses de isolamento social, muitos de nós aprendemos a cozinhar receitas novas, criamos…

2 semanas atrás

Conheça os 4 melhores países do mundo para ciclistas

A pandemia do novo coronavírus trouxe a necessidade do isolamento para conter o avanço da…

2 semanas atrás

Cerrado: brincar na natureza traz benefícios para a saúde das crianças

No dia 11 de setembro comemora-se o Dia Nacional do Cerrado. O bioma abriga cerca…

3 semanas atrás

Jovens criam projeto para adaptar parques públicos do RJ para crianças com deficiência

Uma missão nada fácil, mas muito gratificante. Três jovens do Rio de Janeiro se uniram…

3 semanas atrás

Poluição do ar provoca 7 milhões de mortes prematuras todos os anos, alerta ONU

Por ONU As Nações Unidas alertaram nessa segunda-feira (7) que, em todo o mundo, nove…

3 semanas atrás