Categorias: Energia

Painéis solares estão gerando mais energia durante isolamento

As medidas de isolamento para reduzir a propagação do COVID-19 trouxeram céus notavelmente mais claros em todo o mundo que aumentaram a eficiência das placas solares.

Essa é a conclusão de um estudo realizado na capital da Índia, Deli, que no final de março implementou severas medidas de isolamento (lockdown) no combate ao novo coronavírus.

A poluição do ar pode bloquear parte da luz que chega nas placas e afetar a sua geração elétrica, como já haviam mostrado estudos realizados na China, maior produtor mundial deste tipo de energia alternativa.

Após as medidas de contenção implantadas, vários lugares do mundo registraram uma melhora visível dessa poluição, como no estado indiano de Punjab, onde moradores conseguiram avistar partes do Himalaia pela primeira vez em décadas.

Com base nos dados de concentrações de partículas de poluição do ar, conhecidas como material particulado ou PM 2.5, coletadas na embaixada dos EUA em Déli, os pesquisadores observaram que os níveis haviam caído pela metade, quando comparados aos anos anteriores.

Deli é uma das cidades mais poluídas do planeta“, diz Ian Marius Peters, principal autor do estudo. “Além disso, a Índia implantou um bloqueio drástico e repentino no início da pandemia, trazendo súbitas reduções na poluição do ar que facilitam a sua detecção”.

O estudo também mostrou que os níveis de insolação recebidos por um painel solar em área residencial, a cerca de 10 km do centro de Deli, foram até 8,3% maior do que em anos anteriores.

A equipe conclui que as quedas na poluição e o ar mais limpo permitiram com que a luz solar passasse mais livremente pela atmosfera, aumentando o rendimento dos painéis solares.

Dessa forma, os pesquisadores afirmam que a tecnologia continuará gerando quantidades recordes de eletricidade enquanto os níveis de poluição do ar permanecerem baixos.

Eles também acreditam que resultados semelhantes poderão ser observados em outras cidades além de Deli, com Wuhan, na China, onde o coronavírus emergiu.

A pandemia tem sido um evento dramático de várias maneiras, e o mundo emergirá diferente do que era antes“, diz Peters. “Conseguimos vislumbrar a aparência de um mundo com melhor ar e ver que pode haver uma oportunidade de ‘achatar a curva climática’. Acredito que os painéis solares podem desempenhar um papel importante e que, futuramente, teremos mais instalações fotovoltaicas pode ajudar a gerar um ciclo de feedback positivo que resultará em céus mais claros e limpos”.

Ruy Fontes

Formado em Letras-Inglês pela Universidade Estácio de Sá, apaixonado por tecnologias e sustentabilidade, atua como gestor de conteúdo na agência #movidos.

Leave a Comment
Compartilhe
Publicado por
Ruy Fontes

Posts recentes

Amazônia registra recordes de focos de calor em julho

No dia 30 de julho, a Amazônia registrou mais um triste recorde: 1.007 focos de…

6 dias atrás

Supermercado comercializa hortaliças orgânicas produzidas em projeto social

Como forma de incentivar transformações positivas na sociedade, o Pão de Açúcar começa a comercializar…

6 dias atrás

Pessoas físicas agora podem contratar plano de assinatura de energia solar

Residenciais e produtores rurais mineiros poderão, a partir de agosto, contratar o serviço de Energia…

6 dias atrás

Tecnologia consegue transformar couro em fertilizante orgânico

Há dez anos a ILSA trouxe para o Brasil toda a tecnologia da sua matriz…

1 semana atrás

214 lojas de Magazine Luiza serão abastecida por energia solar

A GreenYellow fechou recentemente com o Magazine Luiza um acordo para o fornecimento de energia…

1 semana atrás

Brasil é o 25º país do mundo com mais energia solar centralizada

Segundo os dados do estudo anual da Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA), o país…

1 semana atrás