Por que a agroecologia vai substituir de vez a agricultura convencional?

Por que a agroecologia vai substituir de vez a agricultura convencional?
29 dez 2015

A agroecologia não é um conceito fechado. Trata-se de um conjunto de práticas que buscam reverter as consequências do modelo destrutivo de agricultura adotado nas últimas décadas pela sociedade. Por que não resgatar conhecimentos dos nossos antepassados, em conjunto com novas tecnologias, para criar um sistema mais harmônico entre o ser humano e a natureza (já que boa parte de nós se esquece de que também somos natureza)?

A grande sacada da agroecologia é ir muito além do aumento de produção, mas também manusear estrategicamente os recursos naturais necessários, como o solo, a água, os animais, as plantas e o ar para que esses continuem preservados daqui pra frente. Além da valorização da cultura e sabedoria popular, é indispensável a relação mais próxima entre consumidor e produtor para que exista a admiração e o reconhecimento de ambas as partes. É o caminho para um futuro com qualidade de vida para todas as partes, garantindo vida para as próximas gerações.


E porque ainda não extinguimos o modelo exploratório e migramos pra agroecologia? Por muuuitos fatores que eu poderia passar o dia escrevendo. Mas a boa notícia é que podemos incentivar essa forma mais justa de lidar com a terra simplesmente prestando mais atenção ao nosso próprio consumo. Compre alimentos em feiras orgânicas, conheça os produtores, prefira frutas e verduras da estação, se junte com seus amigos e crie grupos de consumo consciente. Consumir é um ato político.

Essa linda estufa de morangos fica no Centro Paranaense de Referência em Agroecologia, pertinho de Curitiba, em Pinhais. O Centro é um espaço de estudos e práticas focados no bem-estar de todos os seres vivos. Tem como missão comunicar, promover e apoiar ações de capacitação, pesquisa, ensino e articulação entre pessoas e organizações, voltadas à produção agropecuária e ao consumo sustentáveis, baseados nos preceitos da agroecologia.

PS: a estrutura é de bambu para reaproveitar os recursos presentes nas redondezas, diminuindo o custo, a logística e promovendo a autonomia do agricultor. Legal, não?

Conheça o PorQueNão? no Facebook, Instagram e YouTube!

Projeto de um casal viajando o Brasil todo a fim de disseminar alternativas para um futuro mais harmônico.


PorQueNão?
PorQueNão?

PorQueNão buscar e compartilhar conhecimentos a fim de repensarmos nosso modo de vida? Viajamos o Brasil conectando pessoas que fazem e pessoas que buscam

Observações

  1. Simone Bertelli Diz: janeiro 6, 2016 at 10:27 am

    bom dia. Moramos em Cascavel-PR e temos um espaço grande em nossa terreno e pretendemos ocupar plantando frutas verduras e legumes. Podem indicar como fazemos uma estufa ?

  2. Se fossemos depender da agroecologia, morreriamos de fome. Não produzem nada e ainda se dão no direito de criticar quem produz neste país….texto que atores, intelectuais e falsos ambientalistas vão adorar, mas não produzem nada para a sociedade.

    • tu tem o que na cabeça ? agroecologia sustenta a agricultura no brasil

    • cara sem noção, alimento com alto índice residual, serve para enriquecer mais ainda, laboratórios, fala isto pois não é você que vai ao campo, para ficar exposto aos defensivos, sem noção.

    • “E porque ainda não extinguimos o modelo exploratório e migramos pra agroecologia? Por muuuitos fatores que eu poderia passar o dia escrevendo.”

      Viu só a resposta aqui? é como disse…
      Essa é uma visão urbana, que não conhece/reconhece a realidade do homem rural, do pequeno produtor, das comunidades tradicionais que preservam o meio ambiente… E não sabe que temos mais de 300 conflitos ambientais neste país por disputa de poder político-econômico envolvendo territórios e direitos humanos e civis!

    • Oi Ricardo. Você se refere ao agronegócio, a “força motriz da economia brasileira” e você está certo. Realmente o agrobusiness move grande parte do nosso PIB, gera muitos empregos e acelera nosso crescimento econômico.
      Acontece que, na mesma velocidade, este tipo de atividade agrícola –extremamente mecanizada e dependente de insumos externos derivados do petróleo — está ajudando a acelerar os processos de destruição da teia que sustenta a vida no planeta Terra: as florestas(cerrado e amazônia, principalmente) e toda sua diversidade de vida, estão sendo devastadas para dar lugar a grandes monoculturas que desertificam pouco a pouco o solo. As nascentes e leitos de pequenos rios secam. Contaminam o restante dos recursos hídricos com as quantidades exorbitantes de veneno e fertilizantes químicos usados nesse tipo de cultivo.

      A agroecologia está, pouco a pouco, se tornando viável com o apoio daqueles que acreditam e trabalham por uma agricultura ética e que respeita as leis naturais — essas que chegaram aqui bem antes da gente e que devemos respeitar.

      Abraços!

  3. Gostaria de saber se é possível conseguir detalhes sobre a construcao dessa estufa.

  4. Ursula Hartmann Diz: janeiro 8, 2016 at 5:44 pm

    Tenho a consciência dos alimentos orgânicos ha 50 anos, principalmente acho porque sou descendente de alemães, a primeira geração nascida no Brasil. Convenhamos que a maioria dos Países europeus já tem essa consciência ha muito tempo. Uma das vantagens e que com o frio no inverno, a maioria das pragas não resiste e morre. Então torna-se totalmente desnecessário o uso de pesticidas.
    No Brasil, a curto e médio prazo não acredito em modificações. O povo tem viseiras, aquelas de cavalo e demora muito para se abrir a novas idéias, por mais saudáveis que sejam. Talvez uma nova geração que aprendesse na escola as vantagens dos alimentos sem agrotóxicos, deem valor a esse de alimentação.

  5. “E porque ainda não extinguimos o modelo exploratório e migramos pra agroecologia? Por muuuitos fatores que eu poderia passar o dia escrevendo.” Não precisa passar o dia! Basta dizer que as forças poderosas do capitalismo, sua ideologia competitiva, individualista e predatória é aceita amplamente…

  6. sou acadêmica de agroecologia, desculpe mas não há nada de agroecológico nesta matéria. Aproveitamento de bambu pra fazer a estufa não caracteriza agroecologia. Uma das principais premissas desta ciência é a diversidade, o que não se apresenta na matéria, e ainda não tinha ouvido falar do uso de estufas em agroecologia, posso estar equivocada, mas… nunca ouvi falar. Para construir o pensamento é importante conhecer profundamente a base da ciência. Pode ser uma produção ORGÂNICA, mas não AGROECOLÓGICA.

    • Oi Renata, tudo bem? O Centro Paranaense de Referência em Agroecologia faz experimentos na área, inclusive a estufa orgânica foi feita com o bambu dali para proteger a horta. Realmente essa foto não traduz exatamente o que é a agroecologia, mesmo sendo um plantio diverso com morango, salsinha, cenoura e se olhar bem dá até pra ver um cacho de marimbondo, o que significa que tem vida ali. Nessa matéria demos uma pincelada no assunto para introduzir a agroecologia como uma alternativa mais inteligente e com certeza deveríamos fazer outra matéria mais profunda e consistete. Obrigada pelo toque e se tiver algum material para compartilhar com a gente, agradeço mais ainda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *