O hospital australiano que já salvou a vida de milhares de animais vítimas dos incêndios florestais

O hospital australiano que já salvou a vida de milhares de animais vítimas dos incêndios florestais
06 jan 2020

“Uma vida por vez!” Este é o lema do Australia Zoo Wildlife Hospital, um dos maiores hospitais de vida selvagem do mundo, fundado em 2008  com o objetivo de combater “o ritmo alarmante” com que as espécies australianas desapareciam do país na época – entre outros motivos, por conta de atropelamentos, queimadas e incêndios.

Mal podiam seus fundadores imaginar que, 12 anos depois, a situação só tenderia a piorar. MUITO! A Austrália enfrenta hoje o que já é considerado seu mais catastrófico incêndio florestal. Quase meio bilhão de animais nativos já morreram apenas no Estado de Nova Gales do Sul, um dos mais atingidos pelo fogo. E a situação, infelizmente, está longe de ser controlada.

Em meio ao caos, o hospital faz o que pode, com a ajuda de voluntários. Nesta semana, eles atingiram a marca de 90 mil animais resgatados – sendo, a grande maioria, vítimas dos atuais incêndios florestais.

Quer ajudar, mesmo a distância? No site deles é possível fazer doações financeiras.

Lembrando que toda essa situação é reflexo das mudanças climáticas, que tem alcance global. Nossos hábitos diários – como consumir menos carne e procurar utilizar meios de transporte menos poluentes – fazem SIM diferença e impactam a vida de todos que dividem o planeta conosco. Sabia que a fumaça dos incêndios florestais na Austrália já está chegando ao Rio Grande do Sul? 🙁

Foto: Reprodução/Facebook/Australia Zoo Wildlife Warriors



Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Cofundadora do The Greenest Post, Débora Spitzcovsky é especialista em Sustentabilidade, com foco em Comunicação, Voluntariado e Desenvolvimento Local

Observações

  1. Essa do médico foi “prá matar”.
    Num endereço que julgava mais sério, vem um assunto que interessa (fadiga). Fico lendo e o que se trata é uma propaganda de um produto que estou “careca de saber” que não tão bom quanto dizem.
    Eu esperava uma explicação médica, tipo: sintomas, causas, como corrigir, etc. Afinal ele disse que é muito perigosa. Pura propaganda.
    Não gostei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *