Categorias: Negócios

Novo aplicativo facilita compra e venda de usados, que ajuda reduzir impacto ambiental do consumo

Seja pela oportunidade de economizar dinheiro, pela praticidade de variar mais facilmente o guarda-roupa, comprar e vender itens usados contribui, e muito, para uma vida mais sustentável, sendo uma das formas de consumo consciente.

E a boa notícia é que esse mercado cresce em todo o mundo. Em termos globais, o setor cresce 25% ao ano e movimenta U$1.3T em GMV e U$100 B em receita anual. Nos Estados Unidos, relatório divulgado pela ThredUP de 2019, revelou que o mercado de usados atingirá US$ 51 bilhões até 2024. Em 2028, valerá US$ 64 bilhões, contra US$ 44 bilhões do mercado fast fashion.

Uma das líderes mundiais em classificados online, Adevinta, divulgou um relatório exclusivo com dados de dez mercados em que atua. Convertendo o benefício ambiental do volume comercializado por seus usuários em 2018 somou-se 20,5 milhões de economia na emissão de gases de efeito estufa e 1,1 milhão de toneladas de plástico durante um ano.

Vendendo itens usados no Brasil

No Brasil, os brechós online ganham cada vez mais adeptos. Além disso, temos uma série de marketplaces existentes no mercado nacional. O Popsy é o mais novo aplicativo de classificados online. Por meio dele os usuários compram e vendem produtos de maneira simples, inteligente e totalmente gratuita, sem pagamento de taxas ou comissões. Disponível na plataforma Android e no sistema iOS, o download do app pode ser feito direto na Google Play e App Store.

Por meio de uma inteligência artificial exclusiva, o Popsy automatiza o processo de venda. Quando o usuário tira uma foto do produto, as informações necessárias para a venda (descrição, preço, categoria) são preenchidas automaticamente. Por isso, 5 segundos é o tempo necessário para anunciar um produto no Popsy, o vendedor só precisa tirar uma foto e o aplicativo faz o restante.

Recentemente, o aplicativo firmou parceria com a Loggi, empresa de logística, para também oferecer serviço de retirada e entrega dos produtos em 21 cidades brasileiras, o que garante ainda mais comodidade e segurança para os negociadores.

Segundo Jean-Marie Truelle, fundador do aplicativo, junto à inovação tecnológica do app, o Popsy traz um positivo impacto social à sociedade. “Ao ajudar os usuários venderem produtos que não usam mais (em média, uma família brasileira tem 300 mil itens), o Popsy colabora para que eles ganhem dinheiro de maneira simplificada, bem como facilita para outras pessoas comprarem itens mais baratos, pois não há intermediários, a compra é direta e os produtos são usados. Por isso, o Popsy será sempre a opção de classificados mais barata disponível”, destaca JM Truelle.

Redação

Também quer ver seu texto publicado no The Greenest Post? Entre em contato com a gente pelo e-mail colabore@thegreenestpost.com!

Leave a Comment
Compartilhe
Publicado por
Redação

Posts recentes

Dia das Crianças: visite de forma virtual as exposições Planeta Inseto e Museu de Pesca

A restrição de visitas a museus devido à pandemia do novo coronavírus não impedirá que…

2 semanas atrás

Virada Sustentável chama atenção para volume de descarte de lixo provocados pelo consumo inconsciente

A 10ª edição da Virada Sustentável SP ocorre pela primeira vez em modelo híbrido: físico…

2 semanas atrás

Voluntários constroem escola 100% sustentável na periferia de SP com 2.5 milhões de embalagens recicladas

A iniciativa é impressionante e reúne tudo o que tem de melhor de conceitos sobre…

2 semanas atrás

Companhia aérea fabrica filamentos para impressoras 3D a partir de garrafas PET utilizadas nos voos

A KLM é a primeira companhia aérea do mundo a reciclar garrafas PET para fazer…

2 semanas atrás

Conheça a primeira fazenda urbana dentro de uma indústria do mundo!

O cenário é um refeitório industrial. À mesa, hortaliças frescas, 100% livres de agrotóxicos, colhidas…

2 semanas atrás

Casal constrói casa sustentável com 10 mil garrafas de vidro, em Foz do Iguaçu

Dóris Dias e seu marido, Robson Lopes, sempre sonharam em ter sua casa própria, mas…

2 semanas atrás