Na China, moradores dão descarga com água do mar

Na China, moradores dão descarga com água do mar

Certas atitudes já são tão habituais em nossas vidas, que sequer nos damos o trabalho de questioná-las – mas deveríamos. Por que, por exemplo, usamos água potável para dar descarga? O hábito é adotado em todo o Brasil e, segundo dados da ONG Waterwise, corresponde a 30% e 70% do consumo hídrico das casas e prédios comerciais, respectivamente – água limpa, que vai descarga abaixo para o esgoto, quando poderia ser usada para fins mais nobres.

Em Hong Kong,  na China, desde 1958 o governo decidiu dar um jeito nesse desperdício. Por lá, 80% da população já dá descarga usando, somente, água do mar. É ou não é uma boa ideia?

Para viabilizar a iniciativa, o governo da ilha construiu infraestrutura composta por 35 estações de transmissão e 1,5 mil km de tubulações que levam a água do oceano direto para as descargas das casas dos moradores. A intenção é ampliar ainda mais o sistema, para que, em alguns anos, 100% das residências possam adotar o hábito.

Além de economizar água, a medida também poupa energia. De acordo com artigo publicado no The Standard, jornal em inglês de Hong Kong, “o tratamento da água do mar gasta 50% menos energia do que o da água potável, dez vezes menos do que o da água de esgoto e cem vezes menos do que o processo de dessalinização”.

A água salgada ainda pode ser usada em sistemas de ar-condicionado. Nesse caso, a economia de energia pode chegar a 50%.

Com um litoral tão extenso (e uma crise hídrica cada vez mais acentuada), fica a dica para o Brasil!

Foto: Natasia Causse/Creative Commons



Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Cofundadora do The Greenest Post, Débora Spitzcovsky é especialista em Sustentabilidade, com foco em Comunicação, Engajamento e Desenvolvimento Local

Observações

  1. É interessante, mas gostaria de saber o destino final dessa água, depois de ser usada nas descargas?
    Qual tratamento é feito e onde é devolvido?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error

Curtiu nossa página?

RSS
Follow by Email
YouTube
LinkedIn
Share
Instagram