Estudantes desenvolvem bactéria que come plástico dos oceanos e o transforma em água

Estudantes desenvolvem bactéria que come plástico dos oceanos e o transforma em água
27 jun 2016

A poluição nos oceanos é um problema grave. Segundo estudos recentes, é muito provável que até 2050 terá mais plástico do que peixes em nossas águas marítimas. Para a nossa sorte, não faltam pessoas muito visionárias trabalhando para reverter essa situação. Lembra do jovem de 21 que desenvolveu tecnologia que promete limpar o Oceano Pacífico até 2030?

Pois bem, a novidade do momento é uma bactéria, desenvolvida pelas estudantes Miranda Wang e Jeanny Yao. Trabalhando na ideia desde os tempos do colégio, hoje elas colhem os frutos e já possuem duas patentes, uma empresa e cerca de U$ 400 mil dólares de investimento inicial. Tudo isso com vinte e poucos anos!

Com cinco prêmios nas costas, a dupla ficou famosa por ser a mais jovem a ganhar o prêmio Perlman de ciência. Tudo graças ao protótipo de bactéria capaz de transformar plástico em CO2 e água. A tecnologia está sendo utilizada de duas formas: para limpar as praias e também para produzir matéria-prima para confecção de tecidos.

“É praticamente impossível fazer com que as pessoas parem de usar plástico. Nós precisamos de tecnologia capaz de quebrar o material. Tudo deveria ser biodegradável”, disse Wang.

A tecnologia em desenvolvimento é composta por duas partes. Primeiro o plástico é dissolvido e depois as enzimas de catalização quebram os componentes em pedaços mais maleáveis. Esses componentes são colocados em uma estação biodigestora, em que tudo será compostado. O processo leva, no máximo, 24 horas para acontecer. Ah, a tecnologia… 


 


Jéssica Miwa
Jéssica Miwa

Mãe do Gael, Googler, jornalista e cofundadora do The Greenest Post. Acredita em pequenas ações que podem mudar o mundo.

Observações

  1. Palmas!!

  2. bah…ctéria

  3. E isso não irá afetar, surfistas (eu no caso) e banhistas????

    • w4sh1ng7on Diz: agosto 23, 2018 at 5:28 am

      Não tá dizendo ali que as bactérias serão soltas no mar. Na verdade, pelas etapas que estão escritas ali, os plásticos tem que ser dissolvidos e então quebrados por enzimas. Só então são colocados com as bactérias e em uma estação própria pra isso.
      Só consigo supor que a idéia é recolher os plásticos do mar, e só então seguir as etapas referidas.

    • Mas vc é de plástico?

    • No caso elas só se alimentam de plástico, não faram mal algum as pessoas

  4. Tocantins

  5. … que Deus abençoe as duas pesquisadoras trabalho espetacular, e que inspire-as a mais tecnologias para limpar o planeta … parabéns.

  6. isso é verdade? mas se for estou pensando como isso pode ser bom e tambem com medo que elas evoluam para algo mais assustador

  7. Rossana Kay Diz: junho 30, 2016 at 9:40 pm

    O que acontece com a bacteria apos ter transformado o plastico em agua?

  8. Ui… Isso cheira a caixa de pandorra… Porque a produçao massiva e descontrolada pode afetar o efeito estufa… Parece perigoso…

    • w4sh1ng7on Diz: agosto 23, 2018 at 5:29 am

      Não tá dizendo ali que as bactérias serão soltas no mar. Na verdade, pelas etapas que estão escritas ali, os plásticos tem que ser dissolvidos e então quebrados por enzimas. Só então são colocados com as bactérias e em uma estação própria pra isso.
      Só consigo supor que a idéia é recolher os plásticos do mar, e só então seguir as etapas referidas, o que no caso, seria controlado.

  9. Ana Pacheco Diz: julho 1, 2016 at 8:51 pm

    tá muito crua a informação… quem patrocina as pesquisas Plastigel ou tuppeware???? esperança x medo

  10. É genial essas duas estudantes. Salvará o Planeta da poluição!

  11. essas novas tecnologias podem transformar muitas coisas ate mesmo nossos corpos em zumbie

  12. ricardo alves Diz: julho 2, 2016 at 5:36 pm

    Boa contiuem o mar nao precisa de plastico.

  13. Isso vai resultar em m… Inventaram o mosquito que iria exterminar a dengue e o que resultou foi Zica, chikungunha, microcefalia etc.

  14. Deolinda saturnino Diz: julho 3, 2016 at 6:20 pm

    Que maravilha! Parabéns.

  15. enquanto isso, aqui as pesquisas incentivadas pelo governo vão muito bem, obrigado!

  16. Estudantes inteligentes, criativas e profissionais. Precisamos de mais investimentos para projetos como este! Conteúdo de excelente qualidade!

  17. W4sh1ng7on Diz: agosto 23, 2018 at 5:28 am

    Não tá dizendo ali que as bactérias serão soltas no mar. Na verdade, pelas etapas que estão escritas ali, os plásticos tem que ser dissolvidos e então quebrados por enzimas. Só então são colocados com as bactérias e em uma estação própria pra isso.
    Só consigo supor que a idéia é recolher os plásticos do mar, e só então seguir as etapas referidas.

  18. Excelente descoberta. Que faça o sucesso que merece
    Mas não tem risco colateral? Como matar os peixes.. não que o plástico não mate

  19. Precisa desenvolver uma bacteria capaz de transformar o coco que tem na cabeça de muitas pessoas em neuronio!!!

  20. Eu acho isso fantástico. Mas fico pensando aqui, na minha sabida ignorância no assunto: no futuro, o que acontecerá com essas bactérias? Elas podem evoluir de forma incontrolável? Se o mundo evoluir e reduzir o consumo de plásticos (visto que é uma tendência) as bactérias poderiam se adaptar e passar a consumir coisas vitais da natureza?

  21. Flávio costaleites Diz: agosto 28, 2018 at 11:15 am

    Se come plástico nos oceanos ,imagina o wue vai fazer com peixes, essas ideias mirabolantes é fantasiosas, tem é que ter sistema educas de reciclagem na fonte, e deixarmos de lado esse romantismo ambiental. Reciclar é a solução, não deixar ir plástico para o mar, o resto é notícia que não dá em nada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *