Categorias: Energia

Em 2019, SP dobra potencial da geração solar fotovoltaica

Um levantamento realizado pela equipe técnica da Coordenadoria de Energias Elétrica e Renováveis (CEER) da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA) mostra que, em 2019, a potência de geração centralizada de energia solar fotovoltaica dobrou em relação ao ano anterior no Estado de São Paulo. Enquanto, em 2018, existiam 12 unidades com capacidade de gerar 151 MW, em 2019, o potencial alcançou 301 MW em 21 unidades geradoras. Os dados mostram ainda um aumento de 5% na produção de gás natural, uma elevação de 7,8% da utilização do insumo na termogeração e alta de 10,8% na produção de etanol anidro.

“Em 2019, a população paulista consumiu 11,6 bilhões de litros de etanol, enquanto a gasolina automotiva registrou 7,9 bilhões. Além disso, as energias geradas a partir do sol, do biogás de aterros, de resíduos de madeira e de lixívia também contribuíram para tornar a matriz energética paulista mais renovável”, explica o secretário da SIMA, Marcos Penido.

A geração solar distribuída de até 5 kw saltou de 5.634 unidades em 2018 para 16.360 instalações em 2019, somando 159,7 MW de potência.

O setor elétrico apresentou, tanto na oferta quanto na demanda, um crescimento de 1% em relação ao ano de 2018. Em termos de consumo por setor, o Estado de São Paulo apresentou um crescimento de 3,8% no comercial, 2,7% no residencial, 3,1% nos demais (rural, iluminação pública, serviços públicos) e um decréscimo de -2,7% no industrial.

No setor sucroalcooleiro houve uma expansão da oferta de etanol anidro de 10,8% em relação ao ano anterior, com uma produção de 5,7 bilhões de litros em 2019, e uma retração de -2.0% em etanol hidratado, com 10,5 bilhões de litros produzidos.

No consumo de derivados de petróleo, os combustíveis que apresentaram crescimento foram o óleo diesel (3,2%) e o querosene de aviação (1,7%). Os demais como óleo combustível (-22,1%), gasolina (-5,7%) e GLP (-1,1%) decresceram.

Em relação ao consumo de gás natural, houve um crescimento no ano de 1,1%, com as seguintes performances por setor: termogeração (+7,8%), cogeração (+3,4%), comercial (+2,4%), residencial (+0,3%), industrial (0,0%) e automotivo (-2,4%).

“A perspectiva é de que se manterá para os próximos anos uma trajetória de crescimento de seu parque energético a partir de uma gradual expansão das energias renováveis em substituição as de origem fósseis”, comenta o técnico do CEER, Reinaldo Almança.

Para acessar o perfil energético do Estado de São Paulo clique aqui.

Redação

Também quer ver seu texto publicado no The Greenest Post? Entre em contato com a gente pelo e-mail colabore@thegreenestpost.com!

Leave a Comment
Compartilhe
Publicado por
Redação

Posts recentes

Energia solar atraiu R$13 bilhões e gerou 86 mil empregos no Brasil em 2020

Mesmo com a economia do Brasil fragilizada pelos impactos da pandemia, o setor de energia…

2 dias atrás

Conheça a recicladora de resíduos orgânicos residencial disponível no Brasil!

Dentro de um período de 4 a 12 horas, até 90% do seu lixo orgânico…

2 semanas atrás

Máscaras descartáveis serão recicladas na França

Com a pandemia do Coronavírus, as máscaras de proteção descartáveis viraram uma grande ameaça ambiental…

2 semanas atrás

Brasil atinge 4,3 GW de energia solar distribuída em 2020 e pode dobrar capacidade em 2021

Os sistemas de energia solar instalados em casas, empresas, propriedades rurais e demais estabelecimentos do…

3 semanas atrás

Empresa americana lança carro solar elétrico que se autorrecarrega

Imagina um carro para uso diário na cidade que você nunca precisa abastecer ou recarregar.…

4 semanas atrás

Bandeira vermelha em dezembro reforça vantagens no uso da energia solar

Conforme anunciado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a bandeira vermelha  patamar 2 será…

4 semanas atrás