Categorias: Mobilidade

Cidade de SP adota tarifa zero para ônibus – e ainda aumenta frota e número de linhas

É isso mesmo: o sonho de ter transporte público de qualidade DE GRAÇA está prestes a virar realidade para os cerca de 50 mil habitantes que vivem no município de Vargem Grande Paulista, na região metropolitana de São Paulo.

O governo municipal acaba de anunciar que a partir de novembro as catracas dos ônibus da cidade estarão liberadas para a população local. Para ganhar o benefício, os cidadãos terão que se cadastrar no sistema Tarifa Zero e, então, ganharão um cartão de passe livre que deverá ser apresentado toda vez que pegarem o ônibus.

Tudo muito bem, tudo muito bom… Mas você, assim como nós, deve estar se perguntando quem vai pagar essa conta. Segundo a prefeitura, toda a iniciativa só foi possível graças a uma parceria com as empresas da região, que irão contribuir com uma taxa mensal que será usada para financiar a Tarifa Zero.

A troco de quê? Estudo detalhado, encomendado pelo governo local, provou a essas empresas que contribuir com a taxa todos os meses sai mais barato do que o gasto que têm ao pagar vale-transporte para cada um de seus funcionários. Ou seja, todo mundo vai sair ganhando (e economizando dinheiro)!

A iniciativa promete, inclusive, fomentar a economia local. Isso porque, atualmente, grande parte dos moradores de Vargem Grande Paulista fazem suas compras em cidades vizinhas, como Cotia e Itapevi. Com a tarifa dos ônibus locais zeradas, no entanto, a tendência é que passem a dar preferência para os comércios da cidade, mostrou o mesmo estudo encomendado pela prefeitura.

Ah! E para quem suspeita que a qualidade do serviço vai cair, o governo garantiu que não e, para provar, já anunciou que a frota vai aumentar de 7 para 13 ônibus e que o número de linhas crescerá de 4 para 7. Agora é esperar para ver se tudo vai acontecer como prometido… Quem bota fé?

Foto: Divulgação/Prefeitura de Vargem Grande Paulista

Débora Spitzcovsky

Cofundadora do The Greenest Post, Débora Spitzcovsky é especialista em Sustentabilidade, com foco em Comunicação, Voluntariado e Desenvolvimento Local

Veja Comentários

  • Mas não há isso de tarifa grátis; o que existe é simplesmente uma tarifação unitária - ou seja, não há re-taxação de passagens, pois pagamos impostos, de onde são alocados os subsídios. Obrigado

Compartilhe
Publicado por
Débora Spitzcovsky

Posts recentes

Refugiados venezuelanos ajudam brasileiros vítimas das chuvas em Minas Gerais

As chuvas em Minas Gerais seguem causando fortes estragos em dezenas de cidades do Estado. O fenômeno natural – que,…

3 semanas atrás

26 resoluções sustentáveis para um ano realmente novo (e melhor)

1. Juntar tampinhas para o programa de reciclagem Tampinha Legal 2. Usar ecobag SEMPRE que for fazer compras, para não…

2 meses atrás

O hospital australiano que já salvou a vida de milhares de animais vítimas dos incêndios florestais

“Uma vida por vez!” Este é o lema do Australia Zoo Wildlife Hospital, um dos maiores hospitais de vida selvagem…

2 meses atrás

Cidade de São Paulo assina compromisso global para prevenir poluição plástica

A Fundação Ellen MacArthur, em parceria com a ONU Meio Ambiente, divulgou relatório que aponta os avanços nos esforços globais…

4 meses atrás

Mulheres catadoras são contratadas para coletar lixo plástico usado para fazer tijolos que constroem escolas na África

Sabe aquelas iniciativas que parecem amarrar todas as pontas para fazer do mundo um lugar melhor? A empresa Conceptos Plásticos…

4 meses atrás

Casal de brasileiros recupera floresta do tamanho de mais de mil campos de futebol em MG

1.754 acres ou, para ficar mais fácil de entender, a área de 1.002 campos de futebol oficiais. Este é o…

4 meses atrás