Categorias: Lixo

Brasil é o quinto país que mais produz lixo eletrônico no mundo inteiro

O Brasil foi o quinto país que mais produziu lixo eletrônico em 2019. Segundo o relatório The Global E-waste Monitor 2020, os brasileiros ficaram atrás apenas da China, EUA, Índia e Japão. Ao todo, foram geradas 2.143 toneladas no ano passado.

De acordo com o documento, o tema ainda é crítico na América Latina. Além do México, Costa Rica, Colômbia e Peru – que lideram a gestão sustentável de lixo eletrônico e que, em 2020, estão trabalhando para melhorar os sistemas já estabelecidos -, apenas Brasil e Chile estão estruturando as bases para a implementação de um quadro regulamentar formal para a logística dos resíduos.

Apesar de constar no relatório de que o Brasil não possui legislação específica sobre o assunto, em outubro de 2019, foi assinado o Acordo Setorial para a Logística Reversa de Produtos Eletroeletrônicos. O documento é um complemento à Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS (Lei 12.305/2010), e define metas para as fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes na questão de quantidade de PEVs instalados, número de cidades abrangidas e percentual de aparelhos eletroeletrônicos a serem coletados e destinados corretamente, como celulares, computadores, impressoras, ferramentas elétricas, chuveiros, eletroportáteis sem utilidade para o consumidor.

A Green Eletron, maior gestora brasileira sem fins lucrativos para a logística reversa de eletroeletrônicos e pilhas de uso doméstico que não têm mais utilidade, participou ativamente da construção do acordo e atua para mudar esse cenário no País. Desde o início das operações, em 2017, a Green Eletron instalou 228 Pontos de Entrega Voluntária, ou PEVs, em 75 cidades do Estado de São Paulo (confira aqui) e um no Distrito Federal, coletando mais de 445 toneladas de produtos eletroeletrônicos. Em 2019, a quantidade coletada triplicou em comparação ao ano anterior, com a ajuda de parcerias, campanhas e dos consumidores.

Já no programa Green Recicla Pilhas, existente desde 2010 e com mais de dois mil pontos espalhados pelo Brasil, mais de 1.680 toneladas tiveram sua destinação correta. Veja todos os coletores exclusivos de pilhas.

“O lixo eletrônico descartado incorretamente pode causar impactos negativos para o meio ambiente e consequentemente para a saúde humana. Trabalhamos por um mundo com menos geração de resíduos e menos extração de matéria-prima da natureza. Para isso disponibilizamos Pontos de Entrega Voluntária (PEVs) em lojas do varejo, shopping centers, instituições empresariais, entidades de ensino, e contamos principalmente com a participação dos consumidores para descartar seus produtos para darmos um destino ambientalmente adequado aos mesmos”, diz Ademir Brescansin, gerente executivo da Green Eletron.

Redação

Também quer ver seu texto publicado no The Greenest Post? Entre em contato com a gente pelo e-mail colabore@thegreenestpost.com!

Leave a Comment
Compartilhe
Publicado por
Redação

Posts recentes

Amazônia registra recordes de focos de calor em julho

No dia 30 de julho, a Amazônia registrou mais um triste recorde: 1.007 focos de…

6 dias atrás

Supermercado comercializa hortaliças orgânicas produzidas em projeto social

Como forma de incentivar transformações positivas na sociedade, o Pão de Açúcar começa a comercializar…

6 dias atrás

Pessoas físicas agora podem contratar plano de assinatura de energia solar

Residenciais e produtores rurais mineiros poderão, a partir de agosto, contratar o serviço de Energia…

6 dias atrás

Tecnologia consegue transformar couro em fertilizante orgânico

Há dez anos a ILSA trouxe para o Brasil toda a tecnologia da sua matriz…

1 semana atrás

214 lojas de Magazine Luiza serão abastecida por energia solar

A GreenYellow fechou recentemente com o Magazine Luiza um acordo para o fornecimento de energia…

1 semana atrás

Brasil é o 25º país do mundo com mais energia solar centralizada

Segundo os dados do estudo anual da Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA), o país…

1 semana atrás