A usina solar flutuante que garante água potável para 10 milhões de pessoas

A usina solar flutuante que garante água potável para 10 milhões de pessoas
11 mar 2016

Enquanto a maior usina solar flutuante do mundo, localizada no Japão, não está pronta, a Inglaterra pegou o título emprestado. Localizada próximo ao famoso aeroporto de Heathrow, a estrutura flutuante terá capacidade para gerá até 6,3 megawatt de eletricidade e será composta por 23 mil painéis solares.

Batizada de Thames Water, a usina teve um investimento de US$ 8 milhões. Seu objetivo é abastecer estações de tratamento que proporcionam água potável para 10 milhões de habitantes de Londres e de outras cidades a sudoeste da Inglaterra.

“Nós estamos aprendendo o caminho, mas esperamos que outros tomem a iniciativa tanto no Reino Unido quanto mundo afora e deem continuidade a essa tendência”, disse Angus Berry, gerente de energia do Thames Water, ao The Guardian.

Uma usina solar flutuante é ainda mais eficiente do que as instaladas em terra firme. Além disso, os painéis fotovoltaicos fazem sombra na água, o que limita o crescimento das algas que poderiam desequilibrar o ambiente aquático.

Foto: Thames Water



Jéssica Miwa
Jéssica Miwa

Mãe do Gael, Googler, jornalista e cofundadora do The Greenest Post. Acredita em pequenas ações que podem mudar o mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *