Restaurante em Israel dá 50% de desconto para árabes e judeus que sentarem JUNTOS para comer

Restaurante em Israel dá 50% de desconto para árabes e judeus que sentarem JUNTOS para comer
19 nov 2015

“Entre nós não temos árabes. Mas também não temos judeus. Entre nós temos SERES HUMANOS!” É o que diz, em hebraico, o anúncio do Hummus Bar, restaurante localizado em Israel que oferece desconto de 50% para clientes árabes e judeus que sentarem JUNTOS na mesma mesa para comer.

Em um momento em que o mundo todo pede PAZ, a campanha do restaurante dá um tapa na cara dos intolerantes (a qualquer tipo de diferença) – e está fazendo um super sucesso!

Em entrevista ao jornal israelense Al Jazeera, o gerente do estabelecimento, Kobe Tzafrir, contou que há inclusive clientes que, ao sentar na mesa mista, recusaram-se a aceitar o desconto como forma de apoiar a iniciativa.

Em 2014, outra campanha para promover a paz no Oriente Médio fez sucesso na internet: a #JewsAndArabsRefuseToBeEnemies (#JudeusEÁrabesSeNegamASerInimigos, em português), que bombou após um casal de judeu e árabe postar foto no Twitter se beijando.

Que pouco a pouco, iniciativas como essas espalhem-se e superem os episódios de ódio que ando ocorrendo mundo afora. Afinal, embora completamente diferentes, somos todos iguais. Somos todos SERES HUMANOS. Não custa nada lembrar! (:



Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Débora Spitzcovsky é jornalista, formada pela Universidade Metodista de São Paulo e, desde o início da carreira, atua na área da sustentabilidade. Atualmente, é analista de comunicação sobre o tema na Duratex

Observações

  1. Parabéns ! dando bom exemplo !

  2. Marcia Cherubin Diz: maio 13, 2016 at 9:51 am

    Parabéns pela matéria. Juntar o mundo é nosso dever. Sou autor da música JUNTO, que em um trecho diz: “Juntar árabes e judeus num beijo de juntar nações”…

  3. Geraldo Bohessef Bou Assaf Diz: maio 13, 2016 at 12:49 pm

    O problema maior são os donos das armas, do lado árabe e do lado judeu. O povo em si quer só cuidar de sua vida e dos filhos, mas para os donos das armas, isso não interessa, principalmente pelo exemplo que é Israel e Líbano, as duas únicas democracias da região, onde seus governantes são eleitos pelo povo, ao contrário dos outros países, muitos governados por reis com espírito ditatorial, e que não querem perder o domínio sobre seu povo, e o pior exemplo dessa monarquia é a da Arábia Saudita e Catar, que financiam os maires grupos de radicais islâmicos do mundo árabe.

  4. Quero ver juntar um pobre e um rico pra dividir a mesma mesa….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *