Relator do ‘PL do Veneno’ é dono de empresas que vendem agrotóxicos

Relator do ‘PL do Veneno’ é dono de empresas que vendem agrotóxicos
01 ago 2018

Quem diria? Como se não bastasse ter sido apresentado pelo atual ministro da Agricultura, Blairo Maggi, um dos maiores produtores de soja do Brasil, o polêmico PL do Veneno agora tem como relator na Câmara dos Deputados ninguém mais, ninguém menos do que Luiz Nishimori, dono das empresas Mariagro Agricultura e Nishimori Agricultura, duas companhias que comercializam nacionalmente… agrotóxicos.

A denúncia foi feita pela revista Congresso em Foco e, infelizmente, não surpreende. Segundo o veículo, as empresas estão em nome de familiares de Nishimori e já comercializaram tanto veneno aos agricultores do Paraná, onde estão sediadas, que chegaram a bater as metas de venda da Syngenta, uma MULTINACIONAL que fabrica defensivos agrícolas. Tenso!

Em tramitação na Câmara dos Deputados, o PL 6299/2002 (ou PL do Veneno), que facilita a liberação da venda e uso de agrotóxicos no país – incluindo aqueles que, comprovadamente, causam problemas de saúde –, já foi aprovado pela Comissão Especial da Câmara, mesmo sob inúmeros protestos da sociedade civil, e agora aguarda votação no plenário.

Você também é contra toda essa palhaçada que está acontecendo? Leia a notícia Brasil pode ganhar Política Nacional de Redução de Agrotóxicos, para entender melhor sobre o assunto, e clique aqui para assinar petição que pede a aprovação dessa política – que, na contramão do que quer o PL do Veneno, prevê a redução gradual do uso de agrotóxicos no Brasil. Mais de 1,6 milhão de pessoas já assinaram. Inclusive nós, do The Greenest Post!

Chega de colocar tanto veneno no prato!


Brasil pode ganhar Política Nacional de Redução de Agrotóxicos


Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Débora Spitzcovsky é jornalista, formada pela Universidade Metodista de São Paulo e, desde o início da carreira, atua na área da sustentabilidade. Atualmente, é analista de comunicação sobre o tema na Duratex

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *