No PR, prefeitura produz adubo de graça para hortas comunitárias com resíduos produzidos pelas fábricas locais

No PR, prefeitura produz adubo de graça para hortas comunitárias com resíduos produzidos pelas fábricas locais
30 nov 2015

A partir de resíduos industriais, como bagaço de cana, esterco bovino, pó de filtro de algodão, cinza de caldeira, lodo e terra de filtração, a prefeitura de Maringá, no estado do Paraná, produz adubo orgânico para abastecer cerca de 30 hortas comunitárias.

Além do destino responsável do resíduo, a Central de Compostagem impacta a vida de 1,2 mil famílias (aproximadamente 5 mil pessoas). Instalada na estrada São Luiz, estima-se que o local produza até 400 toneladas de fertilizante orgânico por semestre.

“Na região de Maringá, não há outra central que pode tratar desses resíduos, que são utilizados da melhor forma com o menor impacto ambiental possível”, conta José de Oliveira Albuquerque, coordenador das hortas comunitárias.


 


Jéssica Miwa
Jéssica Miwa

Mãe do Gael, Googler, jornalista e cofundadora do The Greenest Post. Acredita em pequenas ações que podem mudar o mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *