Conheça a ONG que transforma terrenos públicos em hortas comunitárias

Conheça a ONG que transforma terrenos públicos em hortas comunitárias
16 out 2014

Na zona leste de São Paulo, onde mora 40% dos desempregados de São Paulo, a ONG Cidade sem Fome transforma terrenos públicos e particulares, que não têm uso, em hortas urbanas. O projeto nasceu em 2004 e é composto por 21 hortas comunitárias, 15 hortas escolares e cinco estufas.

Hoje, 115 pessoas trabalham como agricultores urbanos do projeto. A produção é distribuída para autoconsumo e o excedente é comercializado – o que garante o sustento de 650 pessoas. O esquema proporciona a geração de renda, a permanência dos trabalhadores nas hortas comunitárias e a autossustentabilidade do projeto.

Quase mil pessoas foram contempladas com curso de capacitação profissional para produção de alimentos orgânicos em áreas urbanas. Mulheres são particularmente beneficiadas pelo projeto, porque têm mais dificuldades na inserção no mercado de trabalho, uma vez que não têm onde deixar as crianças. Sem o projeto da Cidade Sem Fome, provavelmente se dedicariam à coleta de materiais recicláveis – o que exige grande esforço físico e resulta em pouca renda.

O trabalho junto às escolas públicas também teve bons resultados: foram quase quatro mil estudantes envolvidos no desenvolvimento e na manutenção das hortas. De quebra, crianças, familiares e professores demonstraram melhorar seus hábitos nutricionais dentro de casa.

Os benefícios são inúmeros: geração de renda, transformação de terrenos baldios em áreas verdes produtivas, inclusão social, empoderamento da mulher, mudança de hábitos alimentares, formação técnica e muito mais.

Clique aqui e saiba mais sobre o projeto.

Foto: Divulgação



Jéssica Miwa
Jéssica Miwa

Mãe do Gael, Googler, jornalista e cofundadora do The Greenest Post. Acredita em pequenas ações que podem mudar o mundo.

Observações

  1. […] Fonte: The Greenest Post […]

  2. Me deixa feliz ver a força que os verdadeiros alimentos estão ganhando dia-a-dia na nossa cidade.
    Essa senhora e outras 3 fornecedoras das hortas comunitárias vendem seus alimentos toda 5ª feira no estacionamento do PET (antigo Ceret), no bairro Anália Franco. E todo sábado no Parque do Carmo das 7h às 13h.

  3. […] em metrôs no Japão, terrenos abandonados em São Paulo, hortas públicas na Inglaterra. Nos Estados Unidos, abrigo em Atlanta mantém moradores em […]

  4. como agente pode receber a ajuda dessa ong?

  5. Marau Soares Diz: novembro 16, 2016 at 4:55 pm

    Sou síndica do condomínio da CDHU, preciso de ajuda para fazer uma horta para as crianças cuidarem. tenho um espaço ótimo, mas o condomínio não tem condições de fazer. preciso de semente, terra, mudas, etc. Alguém aí pode me ajudar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *