No torneio de tênis Brasil Open 2018, os gandulas são cães (que esperam por adoção). Veja vídeo!

cmp3.14.14.72670860q4 0xdf59fbea
05 mar 2018

Os cãodulas estão de volta! Depois do sucesso nas edições de 2017 e 2016, o torneio de tênis Brasil Open marca mais um ace que é, de longe, o ponto mais bonito da competição.

O evento contou com a presença especial de seis cãezinhos – Bobby, Duda, Gabriel, Mel, Kika e Thor – para fazer o que mais gostam: pegar bolinhas (só que nas quadras do torneio). Isso porque os animais atuaram como gandulas da competição (ou cãodulas, como são carinhosamente chamados).

Por quê? Simples! A ideia é usar a visibilidade do evento esportivo, que conta com a participação de craques do tênis nacional e internacional, para chamar a atenção do público para a quantidade de animais (fofos!) que estão à espera de um dono.

Quem se apaixonar por um dos bichinhos, pode solicitar sua adoção para a ONG Patinhas Unidas, que é responsável por eles e avaliará o pedido levando em conta o perfil dos candidatos à adotante. Afinal, de nada adianta levar o bichinho para casa para depois, na primeira dificuldade, devolvê-lo ou (pior!) abandoná-lo nas ruas.

Já para quem não teve a oportunidade de ir ao evento e ver, de perto, a fofura dos cãedulas, fica o convite para visitar uma das feiras de adoção da ONG, que acontecem aos sábado no bairro do Campo Belo, na capital paulista, para conhecer os outros bichinhos da entidade que estão disponíveis para adoção.

Em 2016, os quatro cãezinhos que participaram da iniciativa conseguiram um lar. Este ano, um deles já foi adotado por um espectador que estava na arquibancada. Nós, do The Greenest Post, a cada ano ficamos mais apaixonados pela iniciativa. Em vez de COMPRAR vidas, que tal ADOTAR uma? ❤

Assista, abaixo, vídeo que mostra como foi a edição de 2017 do projeto.

Foto: Gaspar Nóbrega/DGW Comunicação



Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Débora Spitzcovsky é jornalista, formada pela Universidade Metodista de São Paulo e, desde o início da carreira, atua na área da sustentabilidade. Atualmente, é analista de comunicação sobre o tema na Duratex

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *