Na China, moradores dão descarga com água do mar

Na China, moradores dão descarga com água do mar
13 mar 2015

Certas atitudes já são tão habituais em nossas vidas, que sequer nos damos o trabalho de questioná-las – mas deveríamos. Por que, por exemplo, usamos água potável para dar descarga? O hábito é adotado em todo o Brasil e, segundo dados da ONG Waterwise, corresponde a 30% e 70% do consumo hídrico das casas e prédios comerciais, respectivamente – água limpa, que vai descarga abaixo para o esgoto, quando poderia ser usada para fins mais nobres.

Em Hong Kong,  na China, desde 1958 o governo decidiu dar um jeito nesse desperdício. Por lá, 80% da população já dá descarga usando, somente, água do mar. É ou não é uma boa ideia?

Para viabilizar a iniciativa, o governo da ilha construiu infraestrutura composta por 35 estações de transmissão e 1,5 mil km de tubulações que levam a água do oceano direto para as descargas das casas dos moradores. A intenção é ampliar ainda mais o sistema, para que, em alguns anos, 100% das residências possam adotar o hábito.

Além de economizar água, a medida também poupa energia. De acordo com artigo publicado no The Standard, jornal em inglês de Hong Kong, “o tratamento da água do mar gasta 50% menos energia do que o da água potável, dez vezes menos do que o da água de esgoto e cem vezes menos do que o processo de dessalinização”.

A água salgada ainda pode ser usada em sistemas de ar-condicionado. Nesse caso, a economia de energia pode chegar a 50%.

Com um litoral tão extenso (e uma crise hídrica cada vez mais acentuada), fica a dica para o Brasil!

Foto: Natasia Causse/Creative Commons



Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Débora Spitzcovsky é jornalista, formada pela Universidade Metodista de São Paulo e, desde o início da carreira, atua na área da sustentabilidade. Atualmente, é analista de comunicação sobre o tema na Duratex

Observações

  1. É interessante, mas gostaria de saber o destino final dessa água, depois de ser usada nas descargas?
    Qual tratamento é feito e onde é devolvido?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *