Pegadinha! Consumidores se interessam por camisetas baratas (mas na hora da compra descobrem que foram feitas por escravos)

Pegadinha! Consumidores se interessam por camisetas baratas (mas na hora da compra descobrem que foram feitas por escravos)
13 maio 2015

Atire a primeira pedra quem não gosta de comprar roupas por uma pechincha! Por trás dos preços baratos oferecidos pelas lojas, no entanto, muitas vezes há tristes histórias de trabalho escravo. São pessoas que trabalham horas e horas, em condições desumanas, para ganhar centavos. Afinal, em algum momento da cadeia, as marcas de roupa lucram para poder oferecer descontos aos clientes. Já parou para pensar sobre isso?

Os consumidores de Berlim, na Alemanha, foram forçados a refletir a respeito do assunto, graças a uma pegadinha feita pela organização Fashion Revolution, que busca combater o trabalho escravo na indústria da moda em mais de 70 países ao redor do mundo.

A ONG instalou, no meio da rua, uma vending machine que ofertava, aos pedestres que passavam, camisetas por, apenas, 2€ (cerca de R$ 7). Animadas com a promoção, várias pessoas pararam para efetuar a compra. Eis que um vídeo, exibido pela máquina de vendas, mostrou aos consumidores como as roupas haviam sido confeccionadas: por menores de idade, que trabalham cerca de 16 horas por dia, para ganhar 13 centavos por hora.

Você teria coragem de comprar uma roupa feita nessas condições? Os consumidores vítimas da pegadinha da Fashion Revolution não tiveram. E mais: muitos deles decidiram doar os 2€, que estavam dispostos a gastar com a camiseta, à ONG para ajudar no combate ao trabalho escravo na indústria da moda. Assista ao vídeo da ‘pegadinha do bem’, abaixo.

A iniciativa da Fashion Revolution foi uma “brincadeira”. Mas vale lembrar que o assunto é sério e, infelizmente, uma realidade para muitas pessoas. Só nos últimos 20 anos, o Brasil resgatou mais de 47 mil pessoas que estavam sendo submetidas a condições de trabalho análogas à escravidão, segundo levantamento do Ministério do Trabalho.

Será que, mesmo sem saber, você não está ajudando a patrocinar esse horror? Seja um consumidor consciente! Informe-se antes de comprar produtos de uma empresa. Já conhece o aplicativo brasileiro que denuncia mão de obra escrava?

Foto: Reprodução/YouTube



Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Débora Spitzcovsky é jornalista, formada pela Universidade Metodista de São Paulo e, desde o início da carreira, atua na área da sustentabilidade. Atualmente, é analista de comunicação sobre o tema na Duratex

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *