Sem crueldade animal! Estudantes criam couro ecológico feito com frutas podres que iriam para o lixo

Sem crueldade animal! Estudantes criam couro ecológico feito com frutas podres que iriam para o lixo
19 ago 2015

Podem colocar mais uma na conta dos jovens visionários! Seis alunos da Willem de Kooning Academy, escola de design da Holanda, acabam de desenvolver método que transforma frutas podres, que iriam para o lixo, em uma espécie de couro ecológico.

Batizado de Fruitleather Rotterdam, o projeto fabrica um tipo de tecido que pode ser usado na confecção de estilosos acessórios, como bolsas e carteiras, e até mesmo de assentos de carros.

Segundo o site Mashable, a ideia surgiu quando o grupo de estudantes visitou uma feira livre no bairro de Binnerotte e ficou chocado com a quantidade de frutas que eram jogadas fora no fim do dia.

Dispostos a resolver o problema ambiental com a ajuda do design, os alunos recolheram uma grande quantidade de mangas, laranjas e maçãs, entre outras frutas, para confeccionar as primeiras bolsas do Fruitleather Rotterdam – e foi só sucesso!

Os inventores não revelam o processo para transformar “lixo” em couro ecológico, mas garantem que pretendem investir pesado no projeto. Segundo a ONU, todos os anos, um terço dos alimentos produzidos no mundo é desperdiçado e vai parar na lata do lixo. Está aí uma oportunidade e tanto de negócio, não?

Foto: Divulgação/Fruitleather Rotterdam



Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Débora Spitzcovsky é jornalista, formada pela Universidade Metodista de São Paulo e, desde o início da carreira, atua na área da sustentabilidade. Atualmente, é analista de comunicação sobre o tema na Duratex

Observações

  1. se eles estivessem realmente dispostos a resolver um problema ambiental e não apenas lucrar com isso, eles disponibilizariam os estudos os processos de fabricação, até pq eles não conseguem pegar todas as frutas que foram jogadas fora do mundo. muito feio botar sigilo nesse tipo de informação, ambientalistas de meia tigela!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *