No RJ, food truck prepara refeições para sem-teto com alimentos (bons!) que iriam para o lixo

No RJ, food truck prepara refeições para sem-teto com alimentos (bons!) que iriam para o lixo
16 nov 2015

40 mil toneladas. Essa é a quantidade de comida (boa) que o Brasil joga fora todos os dias, enquanto inúmeras pessoas passam fome nas ruas do país. 35% desse desperdício acontece durante o processo de preparo das refeições – ou acontecia, no que depender da ONG Make Them Smile.

Atuando desde 2012 para chamar a atenção da sociedade para causas humanitárias, a organização se juntou à agência Africa Rio e à empresa Truckvan para criar o Feed Truck, projeto que une a febre dos food trucks a uma causa nobre: alimentar aqueles que têm fome.

É que a van percorre as ruas do Rio de Janeiro distribuindo, gratuitamente, refeições aos moradores em situação de rua, com um diferencial: todos os pratos são preparados com alimentos que seriam jogados fora pelos restaurantes.

A equipe da Feed Truck recolhe a comida nos estabelecimentos comerciais e, então, chefs voluntários a transformam em refeições deliciosas que são servidas aos moradores em situação de rua. Um destino muito mais nobre para todos esses alimentos, não?

O projeto já ‘salvou’ mais de um milhão de toneladas de frutas, verduras, carnes e vegetais de ir para o lixo (desnecessariamente), alimentando mais de duas mil pessoas.

Nós amamos a iniciativa e torcemos para que seja replicada. Afinal, fome é o pior palavrão com F! E você, curtiu?

Assista ao vídeo do Feed Truck, abaixo.

Foto: Divulgação



Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Débora Spitzcovsky é jornalista, formada pela Universidade Metodista de São Paulo e, desde o início da carreira, atua na área da sustentabilidade. Atualmente, é analista de comunicação sobre o tema na Duratex

Observações

  1. Muito legal. Pena poucas pessoas terem uma iniciativa dessas.

  2. Sandra Santos Diz: novembro 20, 2015 at 12:39 pm

    Gostaria de participar de trabalho, ajudando a confeccionar ou distribuir, sou aposentada e trabalhei em cozinha industrial 15 anos.

  3. Fantástica a iniciativa!!!
    Gostaria muito mais de saber sobre o assunto! Alguém tem algum contato?!

    Até

    Carla

  4. Parabéns!!! Torço para que esta ideia se espalhe e seja implementada por todo Brasil. E que haja mudança de consciência em todos os brasileiros, no sentido de ser mais solidário e evitar desperdício de água e de alimentos.

  5. Sou totalmente contra isso… não to vendo ninguém deficiente, eu acho que o Brasileiro tem que aprender que Solidariedade é diferente disso. Eu mesmo já ofereci trabalho para uns dois moradores de rua (JOVENS) aqui em minha cidade, e me pergunta se eles aceitaram????? além do que, muitos fazem sujeira na porta dos estabelecimentos que por sinal, pagam impostos caros e ainda correm o risco de serem assaltados. Tomar conta de marmanjo NÃO vira, temos que tomar conta de crianças e animais somente. (que são desprotegidos).
    Essa política de se vitimizar não tá com nada… e essa tarefa em nosso país, é a mesma coisa de enxugar gelo.

    • Fabrício Diz: maio 3, 2016 at 10:04 am

      Isso aí… Eles tem que trabalhar… Todo cidadão de bem tem que trabalhar… Eles tb podem…isso aí é pra criar mais vagabundo! Brasil quase não tem…

  6. Sonia Regina Diz: novembro 22, 2015 at 2:47 pm

    Parabéns pela iniciativa!
    Dá até vontade de fazer parte!
    Descobrir outras necessidades e pensar em como ajudar.

  7. Incrivel esta ação. Se houver algo em SP, estou dentro!

  8. Margarida Sampaio Diz: novembro 27, 2015 at 10:16 am

    PARABÉNS PELA INICIATIVA. ESTOU LENDO O LIVRO “CAÇADORES DE BONS EXEMPLOS” DE IARA E EDUARDO XAVIER, UM CASAL QUE VIAJOU PELO BRASIL CAÇANDO PESSOAS QUE FAZEM O BEM, EXERCITAM A SOLIDARIEDADE E CATALOGARAM E DIVULGAM PELA INTERNET MAIS DE 1500 PROJETOS BRASIL A FORA. SUGESTÃO: DIVULGUEM ESTA INICIATIVA BRILHANTE DE VOCÊS PARA QUE EM TODO O BRASIL O DESPERDÍCIO DE COMIDA E A FOME DE MILHÕES DE BRASILEIROS CHEGUE A ZERO. EU TENHO DUAS PÁGINAS NO FACE: MARGARIDA SAMPAIO (SOBRE A LÍNGUA PORTUGUESA) E FILHA DE 1ª VIAGEM (SOBRE IDOSOS), NELAS DUAS JÁ COMPARTILHEI A INICIATIVA DE VOCÊS E JÁ HÁ PESSOAS PENSANDO EM MULTIPLICÁ-LA. PARABÉNS PARA TODOS OS ENVOLVIDOS E QUE DEUS CONTINUE ABENÇOANDO A TODOS. COM AFETO. MARGARIDA SAMPAIO

  9. Que maravilha! Infelizmente, muito municípios PROÍBEM os estabelecimentos de fazer doações.
    É o caso de minha família, que mora no interior do RS. Meu pai tem um comercio de frutas, mas a prefeitura da cidade proibiu ele de doar os alimentos ao lar de idosos da cidade.
    Também não pode doar na APAE, em escolas ou qualquer entidade carente.
    Na crise que o Brasil enfrenta, eu mesmo ainda não tive coragem de comer em um FOOD TRUCK.
    Vejo, fotografo e acho lindo, mas pagar R$20,00 em um sanduíche, ainda é uma realidade distante da maioria dos brasileiros.

  10. Feliz por ler estas noticias tão cheias de esperança!

  11. Adriana Carneiro Diz: abril 17, 2016 at 10:05 am

    Passo diariamente na saída dos fundos do HortiFruti do Flamengo e acompanho o descarte dos produtos que “não estão adequados para venda”. Direto para o caminháo da COMlurb. Seriá ótimo se um caminháo desses chegaase antes¡

  12. QUERO AJUDAR

  13. Miguel Miranda Diz: abril 18, 2016 at 2:42 pm

    Boa tarde! sou estudante de Gastronomia e gostaria de participar do projeto ajudando de alguma forma no preparo e distribuição das refeições.

  14. Luciana Silva Diz: abril 20, 2016 at 8:10 pm

    Estou disponível para ajudar.
    Sou do Rio também.Gostaria muito de fazer parte deste maravilhoso projeto.
    Abçs!

  15. Boa noite! Tenho uma associação de apoio ao morador de rua em Pouso Alegre/MG. Antes conseguia sustentar tudo sozinha, hj perdi tudo financeiramente e vivo de doações p associação e com mta dificuldade minha vida pessoal. Quero aprender com vcs o aproveiramento de alimentos e ajudar mais pessoas. Tenho outros projetos na promoções e reestruturação de moradores de rua . Parabéns! Deus abençoe vcs.

  16. dulce pereira Diz: abril 23, 2016 at 10:12 pm

    parabens gostaria de ajudar de alguma forma

  17. Luiz CEsar Diz: abril 25, 2016 at 7:26 pm

    Essa “febre” que utiliza esse expediente traz muitos transtornos para os comerciantes legalizados e que tem seus negócios próximos ao food truck…os clientes que utilizm esses serviços, em nada fiscalizados, vão usar os sanitários, a água , a luz , papel dos que não recebem nada dos governos e nem dos “doadores” e nem dos que ganham as refeições. Quisera que eles se doassem para descontar os gastos e impostos altíssimos já pagos e que retornam por bolsas aos que nem sempre passam fome.

  18. Tô babando de inveja boa de vocês!

  19. infelizmente ainda existem pessoas como este senhor Luiz Cesar que nunca deve ter sabido o que é sentir fome,que ridiculamente vem criticar esta bela iniciativa…nâo importa o motivo porque alguem esta na rua,ninguem vive assim por prazer,passando frio e fome…E se alguem como vcs ao inves de criticar,ajudam, só merecem nosso aplauso….E que esse ser humano,egoista,pretencioso venha um dia precisar de um prato de comida e nâo encontre alguem que mate sua fome…Parabens pelo belo projeto

    • Fabrício Diz: maio 3, 2016 at 10:06 am

      Simples… Tem pena? Leva pra casa ué… Deixa ele em casa e vai trabalhar boba… Por isso o país tá assim, pq tem pessoas idiotas pensando assim… Só levar pra casa que não teria mais nada disso…

  20. Fabrício Diz: maio 3, 2016 at 10:01 am

    Podiam dar trabalho não comida… Agora esse povo nunca mais trabalha… Mais vagabundo no mundo… Porque não dão bolsa família pra eles? Mereço Brasil é uma droga mesmo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *