Falta pouco! Rio de Janeiro deve ser 1ª cidade do Brasil a proibir uso de canudos plásticos descartáveis

Falta pouco! Rio de Janeiro deve ser 1ª cidade do Brasil a proibir uso de canudos plásticos descartáveis
13 jun 2018

É isso mesmo: a população pressionou e a Câmara Municipal do Rio de Janeiro aprovou Projeto de Lei que proíbe o uso de canudos plásticos descartáveis nos bares, restaurantes e quiosques da capital fluminense.

Foram mais de 15 mil assinaturas coletadas pela ONG Meu Rio, a fim de pressionar os vereadores do município a votar a favor do projeto. Agora, passada essa etapa, falta apenas o prefeito Marcelo Crivella sancionar a medida.

Pra isso, a ONG está incentivando a população a postar o seguinte recado nas redes sociais do prefeito: “Crivella, queremos uma cidade sem canudos de plástico. Contamos com você para sancionar a lei que proíbe canudos de plástico no Rio #RioSemCanudo #RioSemPlástico“.

O prefeito tem 15 dias para aprovar a lei, que, se sancionada, multará em R$ 3 mil o estabelecimento que descumprir a medida. Se for reincidente – isso é, se não for a primeira vez que for pego descumprindo a lei –, o comércio receberá multa com o dobro do valor.

A medida promete resultados bastante positivos para o meio ambiente. Em São Paulo, apenas a proibição da distribuição gratuita de sacolas plásticas em supermercados, adotada em 2015, garantiu a redução de 70% no consumo desses artigos em um ano. Imagina se medidas semelhantes fossem adotadas em todo o país e para diferentes artigos plásticos descartáveis?

Também quer pressionar Crivella a sancionar a lei que proíbe canudinhos plásticos na cidade do Rio de Janeiro – e, assim, dar o exemplo para todos os outros municípios do país? Clique aqui!



Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Débora Spitzcovsky é jornalista, formada pela Universidade Metodista de São Paulo e, desde o início da carreira, atua na área da sustentabilidade. Atualmente, é analista de comunicação sobre o tema na Duratex

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *