Escola de Florianópolis incorpora meditação às aulas de Educação Física

Escola de Florianópolis incorpora meditação às aulas de Educação Física
20 jul 2015

As aulas de Educação Física da escola municipal Lupércio Belarmino da Silva, em Florianópolis, contam com momentos de meditação. A coordenadora do projeto é a professora Rosângela, que promove a prática com alunos de seis a nove anos de idade, que estão cursando do 1º ao 4º ano do Fundamental. O objetivo da ação é reduzir o estress dos estudantes.

No início das aulas, os alunos se sentam em roda e repetem “Eu estou em paz”, intercalando as falas com respirações profundas. O processo dura de três a cinco minutos e os estudantes afirmam que se sentem melhores. “Fico mais tranquila, mais em paz. Parece que tirei um peso das minhas costas depois de tudo o que aconteceu durante o dia”, relata Madelaine, do 3º ano. Rodrigo, da mesma turma, percebe melhoras nos colegas e nele mesmo. “Eu me sinto bem melhor e toda a escola também fica em paz”, conta.

BENEFÍCIOS PARA O CORPO E A MENTE
A meditação aprimora a memória, atenção, concentração, criatividade e a capacidade dos alunos de absorção dos conteúdos, além de ajudar na interação com os colegas. E mais: diminui a ansiedade, melhora o humor e o comportamento dos praticantes e ajuda no tratamento de dores – de cabeça, musculares e nas articulações.

MENOS STRESS
Além da metidação, Rosângela promove yoga em suas aulas, a partir do método “Yoga na Educação”, criado pela professora francesa Michelina Flak e pelo professor e filósofo suíço Jacques De Coulon. A prática é aplicada no contexto escolar de maneira acessível e profunda. Com pequenas sequências de exercícios físicos, respiratórios e mentais, visa também reduzir o estresse e contribuir para a harmonização das crianças e do grupo.

“O exercício cria uma atmosfera acolhedora que faz com que as crianças se divirtam enquanto desenvolvem não apenas força, coordenação, flexibilidade e equilíbrio, mas também consciência, melhora na capacidade de concentração, foco e autoconfiança”, conta Rosângela.

VIRANDO BICHO COM YOGA
Por meio do livro “Virando bicho com Yoga”, de Ana Paula Zampetti, Rosângela utiliza as posturas de diferentes animais para trabalhar a prática com os alunos, respeitando cada faixa etária. O objetivo é aprimorar a concentração dos participantes e proporcionar momentos de relaxamento.

Para a professora, “por meio da meditação, as crianças não ficam tão propensas ao estress, preocupações e doenças. Também desenvolvem laços mais fortes com todos os seres e diminuem a necessidade de competir com os semelhantes”.

A educadora salienta que as práticas desenvolvidas não tem fins religiosos. “O objetivo é reduzir a violência escolar e proporcionar um ambiente mais saudável e harmonioso,além de melhorar a atenção, a memória e o bem estar dos alunos e do educador”, completa.

Foto: Divulgação/Escola Lupércio Belarmino da Silva



Eco Rede Social
Eco Rede Social

A Eco Rede Social tem como missão estimular, disseminar, compartilhar e realizar ações transformadoras que contribuam para o desenvolvimento pessoal e da sociedade na direção da ética, desenvolvimento humano e da sustentabilidade. Uma plataforma que converge artigos, atividades de financiamento coletivo, livros, cursos, palestras, consultoria e relações internacionais, promovendo as condições necessárias para que o maior número de pessoas com os mesmos objetivos, possam realizar seus projetos.

Observações

  1. […] São Paulo e Santa Catarina, já há escolas participando desse movimento. No entanto, esta é a primeira vez que o governo de […]

  2. […] Felizmente não são todas! Conheça a escola de SP que melhora a nota dos alunos com yoga, a creche que oferece yoga, meditação e merenda vegetariana às crianças e a escola de meditação que incorpora meditação às aulas de Educação Física. […]

  3. Simone Maria Mendonça Diz: Março 4, 2018 at 10:02 am

    Meu endereço de e-mail: simone.mm@yahoo.com
    Sou profissional de Educação Física, atualmente também sou mestranda em Educação.Em uma das escolas que ministrei EF, em Diadem/SP, eu dava aulas de Tai Chi Chuan para os alunos com o mesmo objetivo desta maravilhosa professora. Mas , infelizmente, fui proibida pela dona da escola, que era pedagoga e evangélica. Ela achava que a prática poderia incentivar o seguimento de outra religião. Triste!Fiquei decepcionada pois ela era, aparentemente, uma pessoa culta e que se importava com a educação integral, percebi que eu estava enganada e não era com isso que ela se importava.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *