A casa autossuficiente (100% movida a energia solar) que é construída em apenas 8 horas

A casa autossuficiente (100% movida a energia solar) que é construída em apenas 8 horas
09 jan 2018

Já pensou ir dormir e, quando acordar, ter na sua frente uma casa nova, completamente sustentável? Esta é a ideia do engenheiro ucraniano Max Gerbut, que desenvolveu técnica capaz de imprimir casas 100% movidas a energia solar em apenas 8 horas. E melhor ainda: por um preço que cabe no bolso.

Batizada de PassivDom, a iniciativa conta com a ajuda de um robô que faz impressão 3D. As paredes, piso e telhado são impressos em fibras de carbono, poliuretano, resinas, fibras de basalto e fibra de vidro. Para os humanos, sobra o serviço de instalar as portas, janelas, sistemas elétricos e o encanamento da casa.

As moradias são pequenas, mas completamente autossuficientes. Isso porque a casa conta com uma bateria capaz de armazenar energia extra, para quando não há luz solar, podendo fornecer eletricidade aos moradores por até duas semanas sem sol.

Já quando o assunto é autossuficiência hídrica, cozinha, sala, quarto e banheiro da casa contam com dois sistemas de água sustentáveis. Um deles coleta e filtra o recurso por meio da umidade do ar. O outro é um sistema de esgoto independente da rede pública.

LEIA TAMBÉM: 
A impressora 3D que constrói uma casa inteira em apenas 24 horas (e por um preço abaixo do convencional)

Por fim, mas não menos importante, a casa tem todo seu design projetado para garantir isolamento térmico aos moradores – protegendo-os do calor, frio e de ruídos.

Curtiu? Os primeiros modelos desenvolvidos ganharam o nome de ModulOne e ModulTwo e, segundo Gerbut, podem ser instalados em qualquer superfície. O mais simples, sem dormitórios, custa US$ 64 mil (cerca de R$ 205 mil), enquanto o modelo com dois dormitórios custa a partir de US$ 97 mil (aproximadamente R$ 315 mil). Quer saber mais? Acesse a página da empresa!

Fotos: Reprodução/PassivDom



Mattheus Goto
Mattheus Goto

Estudante de Jornalismo da Faculdade Cásper Líbero, repórter na COP 23, estagiário no The Greenest Post e apaixonado por música, arte e histórias de vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *