Reality conta história de jovens que desafiam os pais para cultivar hortas orgânicas em casa

Reality conta história de jovens que desafiam os pais para cultivar hortas orgânicas em casa
11 abr 2016

Ouviu falar que o ambiente urbano não é nada amigável para se cultivar alimentos orgânicos no quintal? Papo furado! Hortas urbanas são cada vez mais populares nas cidades e se multiplicam os coletivos que aproveitam cada espaço disponível para produzir alimentos de qualidade, colorir a selva de pedra em que vivemos e, de quebra, fortalecer a comunidade. Para você que precisa de inspiração, confira cinco motivos para se engajar em hortas urbanas comunitárias.

Curtiu? Então, que tal aproveitar o quintal da sua casa ou aquele espaço que tem disponível no apê e produzir seu próprio alimento? Um canal de televisão americano lançou um novo reality show chamado Yardfarmers (ou Agricultores de Quintal, em tradução livre). O programa acompanhará seis jovens na aventura de criar uma horta urbana — muitas vezes sem apoio dos pais.

“A parte mais difícil de cultivar o jardim do meu pai é conviver com ele”, conta um dos integrantes no vídeo. “A última coisa que a minha mãe quer fazer é cultivar alimentos. Ela enxerga isso como um passo para trás porque a família dela trabalhava com agricultura e trabalhou muito para conseguir deixar a prática para trás”, explica outra participante.

Cultivar o próprio alimento tem muitos benefícios. Entre eles, garantir a procedência do que comemos e transformar espaços improdutivos em verdadeiras fontes de saúde.

A primeira temporada do programa já está concluída, mas se você conhece algum jovem americano (de 21 a 30 e poucos anos) que mora com os pais e quer começar uma horta, as inscrições para a segunda temporada já estão abertas. O reality show é uma parceria entre o Worldwatch Institute e a empresa de produção Big Mouth.

Assista ao trailer do programa, abaixo!



Jéssica Miwa
Jéssica Miwa

Mãe do Gael, Googler, jornalista e cofundadora do The Greenest Post. Acredita em pequenas ações que podem mudar o mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *