Cidade retira todos os seus faróis e número de acidentes diminui (sem contar o trânsito, que sumiu!)

Cidade retira todos os seus faróis e número de acidentes diminui (sem contar o trânsito, que sumiu!)
29 jul 2014

O que muitos acreditam ser o estopim para um trânsito caótico provou ser exatamente o contrário. Respeito foi o que a população de Poynton, pequena cidade inglesa do estado de Cheshire, encontrou quando, em 2011, retirou a sinalização das ruas. Sem o sinal verde, amarelo ou vermelho, todos se tornaram cidadãos e passaram a assumir a responsabilidade pela segurança do próximo.

O modelo de mobilidade, conhecido como “espaço compartilhado”, já foi testado em diversas cidades da Europa nos anos 90. Esta é a primeira vez, porém, que é adotado em ‘larga escala’ – estima-se que 26 mil veículos circulam todos os dias no centro da cidade. A medida foi tomada porque líderes da cidade acreditavam que a pequena vila acolhedora havia se tornado um espaço sombrio e inóspito.

Em entrevista para o City Lab, Ben Hamilton-Baillie, o projetista que cuidou da mudança, disse que “com o passar do tempo, o aumento do tráfego e as intervenções para lidar com ele transformou o coração da vila em um espaço perdido, controlado por sinaleiros”.

O projeto não foi barato: um total de seis milhões de libras foram investidos. Faróis de trânsito foram substituídos por rotatórias e cimento de cores e texturas variadas se tornaram os únicos ‘sinais’ de utilização das vias públicas.

Mas tudo indica que valeu a pena. O comércio reportou crescimento de 88% de pedestres e o governo afirma ter identificado maior interesse em investimentos no local. Pessoas com deficiência física e visual também comemoram a iniciativa. “O tráfego, carros e motos, são muito gentis. Todos param no momento em que me veem”, conta uma moradora.

Assista, abaixo,  ao vídeo que reporta a experiência em imagens!



Jéssica Miwa
Jéssica Miwa

Mãe do Gael, Googler, jornalista e cofundadora do The Greenest Post. Acredita em pequenas ações que podem mudar o mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *