Cesariana pode prejudicar amamentação, diz estudo

Cesariana pode prejudicar amamentação, diz estudo
21 fev 2015

Estudo publicado no The American Journal of Clinical Nutrition aponta que a cesariana, principalmente a eletiva (marcada fora do trabalho de parto), pode comprometer o aleitamento materno. Isto porque a amamentação precoce pós-cirurgia cesariana é 43% menor em relação ao parto vaginal.

É importante ressaltar que isso NÃO siginifica que todas as mulheres que optaram por uma cirurgia eletiva não vão conseguir amamentar. O estudo se baseia em dados populacionais e, portanto, refletem os resultados da prática em termos percentuais.

Pesquisas recentes comprovam que o contato mamãe-bebê logo após o parto é fundamental para estabelecer vínculo e estimular a sucção do bebê e a descida do leite. A Organização Mundial da Saúde  recomenda que a criança seja estimulada a mamar na primeira hora de vida, o que não acontece na maioria das vezes em que a cirurgia é realizada.

Outra coisa que pode ser fundamental para o sucesso da amamentação é o início do trabalho de parto. Segundo o estudo, a lactação é mais bem-sucedida na cesariana intraparto (que não é marcada, ou seja, quando ocorre durante o trabalho de parto).

“Postula-se que o ‘coquetel hormonal’ do trabalho de parto pode mediar o início da lactação”, explica Melania Amorim, médica e professora universitária, em seu blog Estuda, Melania, Estuda. “A resposta à ocitocina e à prolactina não somente afeta a interação mãe-bebê como interfere na ejeção láctea e também há diferenças nas concentrações de hormônios reguladores do apetite em bebês nascidos de cesariana eletiva ou de parto vaginal”, completa.

A frase “eu queria muito ter amamentado, mas…” só não é mais comum do que a “eu queria muito ter tido parto normal, mas…”!  Os benefícios do aleitamento materno são diversos e todo mundo já conhece – se você nunca ouviu falar, clique aqui. Por isso, (quase) toda mãe gostaria de poder amamentar seu bebê. Entretanto, muitas acabam se deparando com diversas dificuldades no caminho: como falta de leite, mamilos rachados e etc.

Assista, abaixo, ao vídeo em que bebês que nascem de parto sem anestesia e têm contato direto com a mãe depois do nascimento são comparados com bebês que nascem com anestesia e são separados da mãe. O resultado é impressionante!

Foto: aurimas_m/Creative Commons



Jéssica Miwa
Jéssica Miwa

Mãe do Gael, Googler, jornalista e cofundadora do The Greenest Post. Acredita em pequenas ações que podem mudar o mundo.

Observações

  1. […] Fonte: The Greenest Post […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *