A canadense que veio para o Brasil ensinar inglês a moradores de rua

A canadense que veio para o Brasil ensinar inglês a moradores de rua
18 ago 2015

No Canadá, é comum que jovens deixem o país, após terminar o Ensino Médio, para fazer trabalho voluntário antes de cursar o Ensino Superior. Mas a atitude de Melina Cardinal surpreendeu a todos.

Aos 19 anos, ela veio para o Brasil trabalhar na ONG Uerê, projeto educacional que capacita crianças e adolescentes de comunidades carentes do Rio de Janeiro. A menina, no entanto, não estava satisfeita com o trabalho que estava desempenhando. Queria mais. E fez!

Por conta própria, ela iniciou outro trabalho voluntário: ensinar inglês para moradores em situação de rua que moram no centro do Rio de Janeiro – mais especificamente na Rua Gomes Freire, no bairro da Lapa.

Por meses, Melina ia ao local, religiosamente, três vezes por semana ensinar o idioma a quem estivesse disposto a aprender. Cores, animais e frutas foram algumas das lições dadas pela professora, que muitas vezes antes das aulas oferecia um lanche aos estudantes. Afinal, aprender de barriga cheia é muito melhor, né?

Iogurte, pão de forma, manteiga, mortadela e suco estavam no cardápio. Tudo comprado com a ajuda dos amigos canadenses, que aderiram a campanha de crowdfunding que Melina promoveu nas redes sociais para conseguir viabilizar seu projeto.

Meses depois, a jovem retornou ao Quebec, no Canadá, para cursar Direito, mas já tem data marcada para voltar ao Brasil e continuar ajudando os sem-teto como pode: julho de 2016. Questionada se acredita que, de fato, conseguiu ensinar inglês aos moradores em situação de rua, ela tem a resposta na ponta da língua. “Isso é o menos importante. Minha intenção sempre foi reforçar a autoestima deles. Mostrar que são capazes de aprender coisas novas. Que eles dormem no chão, mas não são lixo, como muitos pensam”, disse ao jornal O Globo. Assista à reportagem na íntegra.

Mais do que aulas de inglês, Melina deu uma verdadeira lição de cidadania (a todos nós)!

Foto: Reprodução/Márcia Foletto/O Globo



Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Débora Spitzcovsky é jornalista, formada pela Universidade Metodista de São Paulo e, desde o início da carreira, atua na área da sustentabilidade. Atualmente, é analista de comunicação sobre o tema na Duratex

Observações

  1. Acho que tá na índole dos canadenses.
    Aqui em Santos-SP tem outro fazendo história, foi reeleito com 25 mil votos, a maior votação da história, o equivalente a 11% dos eleitores ficando na frente até dos candidatos a prefeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *